ANGOLA. Uma operação de combate à caça furtiva resultou na apreensão, no fim-de-semana, de mais de 300 quilogramas de carne de animais de várias espécies, na província angolana do Kuando Kubango, informaram hoje as autoridades angolanas.

Segundo o chefe de fiscalização do Instituto Nacional e Áreas de Conservação, António Lopes, foram abatidos macacos, jibóias, toupeiras gigantes, javalis e cabras do mato, durante uma operação realizada no domingo.

“Chegámos ao terreno e envolvemos a área onde habitam os caçadores e conseguimos retirar 15 a 20 sacos de carne”, informou o responsável, em declarações à rádio pública angolana.

As autoridades de Angola estimam que a caça furtiva no país movimentou já este ano 220 milhões de euros, daí que pretendem apertar o cerco aos caçadores, com a nova legislação que proíbe a venda de animais ao longo das estradas.

A nova legislação proíbe a venda pública de animais vivos ou abatidos em todo o território nacional, nas estradas nacionais ou secundárias, em mercados privados ou públicos, estando a decorrer por enquanto uma fase de promoção de educação jurídica nas comunidades.

Numa primeira fase, a medida, prevista num decreto executivo do Ministério do Ambiente, prevê a aplicação de multas aos infractores, além da apreensão dos animais.

Lusa

Partilhe este Artigo