O jovem investigador angolano, José Vilema, que no passado 11 de Novembro de 2015 se doutorou pela Universidade de Évora com a classificação máxima atribuída a um Doutoramento, 20 valores, Distinção e Louvor, Summa Cum Laude, por Unanimidade, foi admitido (18 Janeiro) no Programa de Pós-Doutoramento ministrado pela mesma Universidade e positivamente acolhido pelo Centro de Investigação em Ciência Política (CICP) das Universidades de Évora e do Minho em Portugal.

U m Programa de Pós-Doutoramento (PostDoc) visa o aprofundamento de competências de realização de investigação autónoma por excelência e o seu desenvolvimento é feito sob a responsabilidade científica de um Professor Catedrático ou Associado.

O CICP é uma unidade epistemológica coerente, de Excelência desde 2008 de acordo com a avaliação feita às Unidades de I&D pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), que visa, desde uma perspectiva interdisciplinar, proceder à análise, crítica e fundamentação dos fenómenos político-sociais contemporâneos.

O jovem investigador angolano, José Vilema, apresentou o seu projecto de Pós-Doutoramento subordinado ao tema “Emergência e Transformação da Esfera Política. Limites e Inserção de Novos Actores” que, após discussão e exame do mesmo, obteve o parecer positivo e favorável, remetido ao Instituto de Investigação e Formação Avançada (IIFA) foi, pelo Conselho Científico, admitido e reconhecido como legítimo.

Doutorado em Teoria Jurídico-Política e Relações Internacionais, José Vilema sustenta no seu PostDoc que “estamos gradativamente distantes das relações entre os homens e a natureza e, deste modo, excluem-se as dinâmicas da história que, por consequência, criam a oposição entre a natureza e a história”.

Para ele, “as relações entre a sociedade e o Estado, todos os sistemas jurídicos, todos os pontos de vistas teóricos que emergem na história, unicamente podem ser compreendidos se os Estados modernos equacionarem o equilíbrio dos direitos e das obrigações recíprocos a fim de efectivar a união de todos os cidadãos. Para tal, importa associar à crescente desarticulação e fragilidade dos arquétipos político-sociais construídos há mais de três séculos objectivando aplicá-los numa era de transformação vertiginosa”.

Constata que, por detrás de todos os sistemas possíveis de valores, de todos juízos peculiares, encontram-se, comumente, na política duas condutas fundamentais que flutuam entre interpretações diametralmente antagónicas. Por um lado, uns concebem a política como essencialmente uma luta, uma oposição, pois o poder propicia aos indivíduos e os grupos que são seus detentores assegurar o seu domínio sobre a sociedade e favorecer-se dele. Por outro lado, outros teoricamente afirmam que a política é um esforço para fazer prevalecer a ordem e a justiça, pelo facto do poder assegurar o interesse geral e o bem comum em oposição à pressão das reivindicações particulares. Este é precisamente um ideal que marcou a visão política e social precedente, mas que agora se decompõe e deteriora-se.

Todavia, afirma José Vilema, “o maior desafio político das sociedades vigentes não está em administrar a polis nem estabelecer uma relação com os outros Estados, no âmbito da política externa, mas sim em consentir a degradação dos modelos político-sociais e procurar revivificar e reconstruir a sociedade a partir de baixo”.

José Vilema, de 31 anos, nasceu aos 4 de Fevereiro de 1984, é formado em Filosofia e em Direito pelas Universidades Católica e Agostinho Neto. Possui duas pós-graduações designadamente em Direito dos Contratos pela Universidade Óscar Ribas e o Instituto de Cooperação Jurídica da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa e em Ética, Direito e Pensamento Político pelas Faculdades de Direito e de Letras da Universidade de Lisboa. É mestre em Relações Internacionais e Estudos Europeus pela Universidade de Évora e Doutor em Teoria Jurídico-Política e Relações Internacionais pela mesma Universidade.

Nos últimos anos dedica-se à investigação, pois é igualmente investigador e colaborador do CICP. Tem publicado em Diversas Revistas Científicas em Portugal Perspectivas – Portuguese Journal of Political Science and International Relations, no Brasil Prima Facie – Direito, História e Política, em Espanha Vegueta. Anuario de la Facultad de Geografía e Historia e nos Estados Unidos American Journal of Political Science – Michigan State University, e apresentado diversas comunicações nos mais variados Congressos, Workshops e Colóquios Internacionais. É autor de vários artigos e capítulos de actas e livros. É co-fundador e editor da Revista Científica Fronteira Política.

Partilhe este Artigo