A CASA-CE vai realizar em Maio de 2016 o seu II congresso ordinário, perspectivando a sua transformação em partido, anunciou hoje a segunda maior força da oposição angolana.

O congresso vai decorrer em Luanda, entre os dias 10 e 12 de Maio, e deverá contar com a participação de 800 delegados de todo o país e do estrangeiro, referiu o coordenador da comissão organizadora do congresso e vice-presidente da coligação, Manuel Fernandes.

A alteração dos estatutos e do programa da coligação estão entre os principais objectivos do congresso, no qual serão igualmente analisadas a estratégia eleitoral, o processo de transformação da CASA-CE em partido, a eleição dos membros do Conselho Deliberativo Nacional (CDN) e do presidente e vice-presidentes.

Segundo Manuel Fernandes, entre Janeiro e Fevereiro vão ter lugar as conferências municipais e provinciais, para a eleição dos membros participantes ao congresso.

São delegados ao congresso igualmente os membros do CDN cessantes e representantes da CASA-CE junto das comunidades angolanas no exterior e convidados.

Manuel Fernandes frisou que os primeiros dez dias de Abril está reservado à apresentação das candidaturas à liderança da coligação, devendo a campanha eleitoral ocorrer entre 30 de Abril e 5 de Maio.

Na primeira vez que concorreu a eleições, em 2012, a CASA-CE garantiu logo oito dos 220 deputados à Assembleia Nacional, tornando-se na segunda força da oposição angolana.

A coligação tem em curso um processo para a sua transformação em partido político, que deverá ficar concluída em 2016.

De acordo com informação disponibilizada pelo Tribunal Constitucional, a CASA-CE é a única coligação legalizada em Angola, integrando os partidos PADDA – Aliança Patriótica, o Partido de Aliança Livre de Maioria Angolana (PALMA), o Partido Pacífico Angolano (PAI) e o Partido Nacional de Salvação de Angola (PNSA).

Partilhe este Artigo