O ministro dos Petróleos de Angola teceu vários elogios ao programa de transformação em curso na Sonangol. Botelho de Vasconcelos salientou a presença da petrolífera angolana na FILDA como um exemplo de qualidade alcançada numa conjuntura económica difícil.

Por isso, o ministro dos Petróleos destacou igualmente o programa interno “Somos Energia” que espera que funcione como agregador e motivador de todos os colaboradores da Sonangol.

Botelho de Vasconcelos fez estas considerações durante o dia dos Petróleos, na FILDA 2017, onde visitou o pavilhão do sector, dedicando atenção especial ao pavilhão da empresa do regime, dirigida por Isabel dos Santos, uma escolha pessoal do Presidente da República, por sinal seu pai.

O ministro, segundo o Gabinete de Comunicação e Imagem da própriapetrolífera, observou também os stands dos outros expositores das companhias que operam no mercado angolano e que participaram nesta edição da FILDA: British Petroleum, Chevron, ExxonMobil, Statoil e a Sonamet, e teve oportunidade para salientar que “…apesar de o sector estar a viver momentos difíceis, estão a registar-se aspectos positivos já que as empresas começaram a reflectir sobre a necessidade imperiosa de aplicar medidas de auto-suficiência, redução de custos e eliminação de desperdícios.”

O programa “Somos Energia” foi o tema principal da intervenção da Administradora da Sonangol E.P. Eunice de Carvalho que destacou o facto do mesmo ter sido concebido para galvanizar a força de trabalho para os desafios da “nova” Sonangol, com uma estratégia assente em cinco valores: Rigor, Rentabilidade, Transparência, Excelência e Compromisso.

A Administradora Eunice de Carvalho classificou como muito positiva a participação da Sonangol, na Edição 2017 da Feira Internacional de Luanda, tendo destacado a apresentação de produtos e serviços feita pelas subsidiárias presentes na feira. As características da botija Levita, da Sonagás; os derivados de petróleo exibidos pela Sonangol Distribuidora; a iniciativa promocional da SonAir, que oferecia um bilhete grátis a quem adquirisse passagem para Cabinda ou Houston; e os serviços médicos de alta qualidade da Clínica Girassol foram alguns dos bons exemplos referidos pela Administradora Eunice de Carvalho.

O Administrador com a tutela da SonAir e da Clínica Girassol, Manuel Lemos, elogiou a redução de preços na Clínica Girassol assim como o facto desta instituição estar já a disponibilizar serviços médicos que outrora eram prestados apenas no estrangeiro, como por exemplo operações ao coração, diagnósticos e tratamento de cancro.

“Esta evolução da Girassol tem beneficiado sobremaneira os pacientes que de outro modo teriam que adquirir divisas, o que não tem sido nada fácil, para custear despesas com saúde no exterior do país”, argumentou Manuel Lemos, que enalteceu igualmente o projecto da SonAir, da qual é Presidente da Comissão Executiva, de inaugurar, brevemente, novas rotas nacionais e internacionais.

Edson dos Santos, Administrador da Sonangol E.P., interveio no dia dos Petróleos para referir três bons exemplos de casos de sucesso que resultaram da implementação de novas medidas de gestão. O transporte de gás por via férrea, a optimização de rebocadores e a auto-suficiência na produção de JET-A1, o combustível específico para aviões.

Em relação ao transporte de gás por via férrea, de Benguela até à província do Moxico, Edson dos Santos explicou que o mesmo reduziu os custos de transporte a granel em 60% nas zonas atravessadas por troços rodoviários, estando igualmente a maximizar os activos do Estado e a proporcionar, consequentemente, o retorno do investimento feito. Outro aspecto positivo desta medida é o facto de o transporte ferroviário ser mais seguro e ambientalmente mais adequado.

Com a integração dos serviços de rebocadores em três subsidiárias do Grupo, nomeadamente Sonagás, Sonangol Logística e Sonangol Distribuidora, diminuíram-se os meios logísticos em 67%, através da eliminação de dois rebocadores, que implicou uma redução de custos associados em 75%.

O Administrador Edson dos Santos salientou ainda, como caso de sucesso, a auto-suficiência na produção de JET-A1, que incentivou o aumento da produção deste derivado do petróleo na Refinaria de Luanda o que afastou a necessidade de fazer qualquer tipo de importação deste produto, contribuindo para “um maior equilíbrio na balança de despesas em moeda estrangeira”.

Neste dia dos Petróleos na FILDA 2017, assinalado a 28 de Julho, a Sonangol esteve representada ao mais alto nível com as presenças do Presidente da Comissão Executiva da Sonangol E.P., Paulino Jerónimo, e dos Administradores Eunice de Carvalho, Manuel Lemos, Edson dos Santos, Jorge Abreu, João dos Santos e César Paxi. Integraram ainda a comitiva da Sonangol os Presidentes das Comissões Executivas da Sonangol Distribuidora, Filomena Rosa, da Sonagás, Rúben Costa, da Clínica Girassol, Joaquim Van-Dúnem, da MSTelcom, Roger Ferreira, e outros gestores do Grupo Sonangol.

Folha 8 com GPI/EP

Partilhe este Artigo