ANGOLA. A doente angolana diagnosticada com a Gripe A (H1N1) morreu, ontem, na unidade hospitalar onde se encontrava internada, informou hoje a directora nacional de saúde, Isilda Neves.

Em causa está um caso confirmado, aparentemente importado, de Gripe A (H1N1), numa mulher que esteve recentemente no Brasil. Isilda Neves disse que o caso foi notificado a 24 de Abril e dois dias depois surgiu a confirmação da doença.

“Efectivamente ontem [quarta-feira] recebemos a comunicação que a doente com o diagnóstico de Gripe A (H1N1) acabou por falecer”, disse Isilda Neves, em declarações à rádio pública.

Segundo a directora nacional de saúde, foram realizadas análises a quatro pessoas que mantiveram contacto próximo com a vítima, tendo os resultados sido negativos.

Em comunicado divulgado quarta-feira, o Ministério da Saúde referiu que, perante a situação, “foram imediatamente mobilizados todos os subsistemas de saúde” e os protocolos da Organização Mundial de Saúde (OMS), bem como accionados os mecanismos de prevenção.

A nota dava conta que a doente se manteve isolada e as pessoas em contacto directo consigo se mantêm sob vigilância médica.

“Até ao momento, não se verificaram quaisquer outros casos da doença”, assegurava a nota, apelando à população a manter-se “calma e serena”, uma vez que, segundo a OMS, o facto de se detectar um caso de Influenza A (H1N1) corresponde a um estado de alerta de nível 1, numa escala de 0 a 5.

A Gripe A (H1N1) é uma doença particularmente contagiosa, porque se transmite por via aérea e através do contacto com objectos contaminados.

Lusa