ANGOLA. A moeda angolana, kwanza, renovou hoje mínimos históricos face à europeia e norte-americana, ultrapassando pela primeira vez os 50% de desvalorização face ao dólar, desde que autoridades de Luanda puseram fim à taxa de câmbio fixa, em Janeiro de 2018.

Segundo o Banco Nacional de Angola (BNA), na segunda-feira a moeda angolana ultrapassou idêntica fasquia em relação ao euro, transaccionando-se então a 371,129 kwanzas/euro (50,004% de depreciação), tendo hoje renovado os mínimos, ao situar-se em 371,470 kwanzas/euro (50,090%).

Em relação ao dólar, que começara na segunda-feira a semana nos 331,602 kwanzas (49,964%), o BNA indica hoje que a moeda norte-americana está a transaccionar-se nos 332,114 kwanzas (50,041%).

Desde 9 de Janeiro de 2018 que as autoridades de Luanda puseram termo à taxa de câmbio fixa e começaram a vender aos bancos comerciais as divisas em leilão, primeiro trissemanais e actualmente diárias.

Em Janeiro de 2018, um euro equivalia a 185,4 kwanzas, enquanto um dólar se transaccionava a 165,92 kwanzas.

A moeda angolana atingiria uma depreciação de 50% frente à europeia quando fosse transaccionada a 370,800 kwanzas/euro, o mesmo acontecendo à norte-americana quando chegasse aos 331,860 kwanzas/dólar.

Em Janeiro, mas deste ano, um euro equivalia a 352,828 kwanzas, enquanto o dólar era transaccionado a 310,158 kwanzas.

Hoje, no mercado paralelo, o euro está a transaccionar-se entre os 510 e 530 kwanzas, enquanto o dólar está a trocar-se entre os 430 e 450.

Lusa

Partilhe este artigo