ANGOLA. A província de Luanda está a enfrentar, há duas semanas, uma “epidemia” de sarampo, com pelo menos sete casos confirmados, informou hoje fonte do departamento de saúde do governo provincial da capital angolana.

O município de Viana apresenta o quadro mais complicado, com quatro casos de sarampo confirmados, seguido de Cacuaco, com dois, e de Belas, com uma situação.

As autoridades provinciais de saúde admitem que o número de infectados possa ser superior, em função da não notificação de casos pelas famílias.

A última campanha de vacinação contra o sarampo em Angola decorreu em 2014, abrangendo todas as crianças com idades entre os seis meses e menos de nove anos.

Uma nova campanha arranque na segunda-feira, que só em Luanda prevê a vacinação de três milhões de crianças, com idades entre os nove meses e menos de 15 anos.

O vírus do sarampo é transmitido por contacto directo com as gotículas infecciosas ou por propagação no ar quando a pessoa infectada tosse ou espirra.

Os doentes são considerados contagiosos desde quatro dias antes até quatro dias depois do aparecimento da erupção cutânea.

Partilhe este Artigo