ANGOLA. A empresária Isabel dos Santos, considerada a mulher mais rica de África, anunciou hoje a sua “indisponibilidade” para continuar a exercer o cargo de presidente da Cruz Vermelha de Angola, que já ocupava há 12 anos.

Em comunicado, empresária refere que a decisão já foi transmitida ao conselho executivo nacional, tendo Isabel dos Santos indicado Elias Piedoso Chimuco, actual vice-presidente, para ocupar o cargo de presidente interino, “para assegurar o normal funcionamento” da instituição.

Na hora da saída, através da carta enviada conselho executivo nacional, Isabel dos Santos dirigiu-se igualmente aos trabalhadores e voluntários da Cruz Vermelha de Angola, agradecendo o “empenho e dedicação”.

A saída de Isabel dos Santos da liderança da Cruz Vermelha de Angola acontece depois de vários meses de polémicas divulgadas por alguma imprensa angolana sobre a gestão da instituição, cuja veracidade foi sempre negada pela empresária.

Foi igualmente denunciado os 11 meses de salários em atraso na instituição, abrangendo 115 trabalhadores, e alegada tentativa de destituição de Isabel dos Santos, por parte dos funcionários, do cargo de presidente da Cruz Vermelha de Angola.

Lusa

Partilhe este Artigo