ANGOLA. “A CNE não disse uma única palavra sobre os acontecimentos do dia das eleições, onde se fala em tiros, detenções e esfaqueamento junto a Assembleias de Voto. Mais uma vez a CNE faz o papel do tipo Jornal de Angola que cria uma Angola ilusória para procurar intoxicar os menos informados.

A TPA apresenta painéis de comentaristas em que todos são personalidades bem conhecidas do MPLA. A imparcialidade é vergonhosamente violada. De vez em vez salpicou com um ou outro comentarista “da oposição”. Cidadãos mortos votam. O Doutor Savimbi foi encontrado na base de dados.

Notada uma sincronização estranha de alguns camiões do lixo com algumas Assembleias de Voto à medida que vão encerrando as contagens dos votos. Esfaqueado delegado de lista no Bailundo. Misturas de urnas fantasma com urnas verdadeiras. Delegados de lista dos partidos da oposição são afastados à força de perto das urnas.

Polícia retira urnas. Administradores municipais detectados junto a técnicos eleitorais. Em Assembleias de Voto dá-se um apagão da luz, a polícia dá uns tiros e dirigentes do partido da situação – MPLA, levam as urnas.

Polícia Nacional leva urnas sem estas terem sido contadas e devidamente seladas. Assembleias de Voto transferidas de local à última da hora. Assembleias de voto fecham inexplicavelmente antes das 18h00, tudo some, nem actas ficam afixadas. Eleitores que votaram nessas Assembleias de Voto estão incrédulos. Cidadãos e membros de partidos políticos detidos por protestarem”.

Nota: Comunicado do Bloco Democrático (CASA-CE).

Partilhe este Artigo