ANGOLA. A General Electric (GE) anunciou hoje que Angola encomendou sete turbinas móveis, para energia digital rápida, que vai permitir o acesso à electricidade a mais 15% da população.

Um comunicado refere que a encomenda inclui, além das sete turbinas móveis TM2500 aero-derivadas, contratos de serviços e soluções digitais para a Empresa de Produção de Electricidade (PRODEL), responsável estatal pela produção de energia.

As províncias do Namibe, Huíla e Cuando Cubango serão os locais onde serão instaladas aquelas turbinas.

O director comercial do negócio GE Gas Power Systems, citado no comunicado, referiu que as unidades de TM2500, líderes de mercado de produção de energia, fornecem “energia confiável e eficiente, com rapidez, e, com a adição dessas sete unidades, mais 15% da população de Angola poderá ter acesso à electricidade”.

“Estamos muito orgulhosos de podermos contribuir para este importante marco histórico e esperarmos poder continuar a apoiar os objectivos ambiciosos de Angola para o sector energético nos próximos anos”, disse Scott Strazik.

A nota comenta que a rede nacional angolana de electricidade, construída na década de 1970, “está agora a envelhecer e necessita de actualização e reabilitação”, já que a estrutura actual pode apenas garantir energia a cerca de 30% da população.

“O conjunto gerador TM2500, que é montado sobre reboque e pode ser instalado mais rapidamente do que os geradores tradicionais, é ideal para atender às necessidades energéticas de Angola. Juntas, as sete unidades serão usadas para a estabilidade da rede em plantas existentes, além de fornecer electricidade para comunidades fora da rede”, salienta o comunicado.

A GE fornecerá o equipamento gerador, instalação, comissionamento, solução de tratamento de combustível, peças sobressalentes e balanceamento eléctrico da planta, bem como treino qualificado para os colaboradores da PRODEL.

De acordo com a nota, os contratos de serviços multianuais da encomenda garantirão melhor desempenho, eficiência e confiabilidade do equipamento por um período de seis anos.

Já a AE Energia, promotor, integrador e parceiro de implementação angolano, supervisionará a execução do projecto com a GE, na região para garantir a execução perfeita no fornecimento ao PRODEL.

“A AE Energia irá colaborar com a GE na execução do projecto e trabalhar em nome do Governo angolano para ligar a melhor empresa de energia global à empresa de energia eléctrica local que disponibiliza capacidade em Angola”, afirmou Ricardo Machado, CEO da AE Energia.

A GE e o Ministério da Energia e Águas de Angola rubricaram, em 2014, um Memorando de Entendimento, para atingir a meta de geração de energia eléctrica adicional do país de 2000 MW.

Actualmente a tecnologia da GE é responsável por cerca de 50% da produção de electricidade em Angola, e o anúncio de hoje, representa mais uma fase da implementação do programa GE Power Angola.

Desde 1958 a operar em Angola, a GE fornece todo o ecossistema energético para o desenvolvimento nacional do país, desde a geração até a transmissão e distribuição, bem como garantias de serviço a longo prazo.

Em Angola, a GE emprega mais de 500 pessoas, em negócios nas áreas de petróleo e gás, energia, aviação, saúde e transporte ferroviário.

Lusa

Partilhe este Artigo