ANGOLA. O Ministério das Finanças anunciou hoje que começou a pagar em Setembro o subsídio de Natal de 2017 a funcionários públicos e pensionistas, prevendo quatro prestações, nomeadamente para travar a especulação de preços em Dezembro.

Em comunicado, o Ministério liderado por Archer Mangueira refere que o pagamento será feito em quatro prestações, num modelo semelhante ao que já aconteceu em 2016. Nesse ano, o pagamento foi feito em cinco prestações, entre Agosto e Dezembro.

“Esta medida permite ao executivo honrar os seus compromissos e suavizar as pressões de tesouraria decorrentes destes pagamentos”, explica o Ministério das Finanças.

Acrescenta que a medida aplicada este ano permitirá “evitar que em Dezembro ocorra um excesso de moeda em circulação”, situação que poderia “pressionar a inflação e deteriorar o poder de compra dos cidadãos”.

Angola vive desde finais de 2014 uma profunda crise financeira, económica e cambial, devido à forte quebra nas receitas com a exportação de petróleo, tendo em curso várias medidas de austeridade.

Para o Ministério das Finanças, trata-se de um acto “normal”, com a redução dos recursos financeiros do Estado, mas com o Governo angolano a tentar “satisfazer os seus principais compromissos, nomeadamente o pagamento de salários, o serviço da dívida e as despesas mínimas de funcionamento do aparelho do Estado”.

“Com o propósito de assegurar a manutenção das condições necessárias e suficientes ao funcionamento do Serviço Público”, conclui o comunicado.

No Orçamento Geral do Estado (OGE) de 2017, o Governo angolano prevê gastar 1,613 biliões de kwanzas (8.300 milhões de euros) em vencimentos a pagar aos funcionários públicos em todo o ano.

Lusa

Partilhe este Artigo