A provedora de TV satélite, ZAP, pertencente à filha do presidente de Angola, Isabel dos Santos, foi alvo de críticas na manhã de hoje quando surgiram denúncias na rede social Facebook dando conta que havia encerrado os dois canais da televisão portuguesa SIC, que são considerados críticos ao regime angolano.

Por Pedrowski Teca

O jornal Folha 8, em Luanda, averiguou as denúncias e constatou que os mesmos canais, nomeadamente a número 12 (SIC Internacional) e a número 17 (SIC Notícias) estavam às escuras.

No entanto, o canal 13, SIC Mulheres, que também pertence à TV portuguesa continuava no ar, na grelha de canais da provedora de TV satélite ZAP.

“ASSALTO AO CANAL. Tenho a impressão de que a SIC Notícias sumiu do pacote premium da Zap. Não acredito que só esteja a acontecer comigo. Agora tenho a BAND NEWS no canal 17. Mas é assim mesmo que se fazem as coisas. Nem uma informação ao consumidor,” denunciou o usuário do Facebook, Dani Costa.

“A Zap eliminou a canal SIC notícias? Desliguei, retirei o cartão, voltei a ligar e nada de SIC!!!”, escreveu Sonia Sirgado, entre outras tantas denúncias que surgiram nas redes sociais.

A TV portuguesa, SIC, tem sido crítica do regime angolano.

A 17.11.2016, num trabalho investigativo intitulado “Angola, um país rico com 20 milhões de pobres”, a SIC apresentou na sua Grande Reportagem, uma Angola que tem um dos maiores consumos de champanhe per capita e onde 70% da população vive com menos de dois dólares por dia, realçando que na última década o país registou um dos maiores crescimentos económicos do mundo mas manteve-se líder nos índices de mortalidade infantil, uma semana depois de assinalar os 41 anos da independência.

Num trabalho da autoria do jornalista Pedro Coelho, com imagem de José Silva e Luís Pinto e edição de imagem de Rui Berton, a 3 de Março do ano em curso, a SIC Notícias transmitiu o terceiro e último episódio de um trabalho investigativo intitulado “Assalto ao Castelo”, também no seu programa Grande Reportagem, viajando até ao Dubai, numa filial do Banco Espírito Santo (BES) e expondo um mapa de um dos maiores escândalos financeiros que assolou Portugal e Angola.

“Temos a prova da ponte aérea que se estabeleceu entre membros influentes de Angola, alguns generais de José Eduardo dos Santos, e a filial do BES no Dubai – o ES Bankers Dubai. Durante dois anos circularam milhões de dólares entre Angola e o Dubai. Sabemos como e quando esse dinheiro circulou e onde foi parar. Na terceira Grande Reportagem da série apresentamos os factos, juntamos as pontas, completamos o puzzle. A não perder, nos dias 1, 2 e 3 de Março, na SIC”, reportou a SIC Notícias.

A Zap iniciou a sua actividade no mercado angolano em Abril de 2010 e é actualmente a maior operadora de TV por satélite.

No primeiro semestre de 2011, entrou em Moçambique e tornou-se rapidamente líder na disponibilização de conteúdos e canais em português e em alta definição.

Portanto, com a remoção dos canais da SIC na grelha da provedora de TV satélite, ZAP, da filha do presidente angolano, vários críticos ligaram o gesto a intenções de retaliação, que supostamente visa impedir os angolanos e moçambicanos a terem acesso aos programas.

O cenário arrastou-se à TV Cabo Angola, um serviço inaugurado oficialmente em Março de 2006, que não produz conteúdos mas distribui conteúdos de Televisão por cabo aos clientes os Canais de Televisão disponíveis em várias partes do mundo.

Sendo que obtém os canais da SIC através da provedora de serviços de satélite, a ZAP, a TV Cabo Angola, segundo verificou o jornal Folha 8, também está sem os sinais dos canais 12, SIC Internacional, e 17, SIC Notícias.

Partilhe este Artigo