QUÉNIA. A oposição queniana ameaça boicotar as novas eleições presidenciais que vão ser repetidas no próximo mês se não lhes forem asseguradas “garantias legais e constitucionais” que impeçam novas fraudes.

Raila Odinga, o líder da oposição ao Presidente Uhuru Kenyatta, quer o afastamento de alguns elementos da comissão eleitoral e também que sejam abertas investigações criminais, diz a Reuters.

Na semana passada, o Supremo Tribunal considerou nulos os resultados das eleições de 8 de Agosto, que deram a vitória a Kenyatta, com 54% dos votos. Os juízes concluíram que a comissão eleitoral não respeitou a Constituição, embora tenha ilibado Kenyatta de qualquer responsabilidade.

As novas eleições foram marcadas para 17 de Outubro, mas Odinga diz serem necessárias várias mudanças no órgão que conduz o processo eleitoral para que as irregularidades não se repitam.

“Não se pode cometer um erro duas vezes e esperar obter resultados diferentes”, disse o líder da oposição durante uma conferência de imprensa esta terça-feira.

Pouco depois das eleições, a comissão reconheceu que existiu uma tentativa de intromissão no sistema informático que controla o voto electrónico, mas garantiu que o processo de apuramento dos votos não foi afectado. As suspeitas de fraude deram origem a protestos violentos em várias zonas de Nairobi e noutras cidades, alimentando os receios de uma repetição dos confrontos na sequência das eleições de 2007, em que morreram mais de mil pessoas. A generalidade dos observadores internacionais também concluiu não terem existido indícios de manipulação.

Público

Partilhe este Artigo