O Ministério da Saúde angolano viu reforçada a frota de viaturas para a intensificação dos programas de vacinação, com mais 11 viaturas entregues pela Organização Mundial de Saúde (OMS), no valor de 320 mil dólares (272.308 euros).

Em nota de imprensa, a OMS refere que as viaturas, financiadas pela Aliança Mundial de Vacinas e da Imunização (GAVI), já foram entregues e servem para intensificar a vacinação de rotina em áreas de baixa cobertura vacinal, bem como expandir as actividades do Programa de Vacinação em Angola.

As viaturas agora entregues vão já apoiar a nona e última fase da campanha de vacinação massiva contra a febre-amarela, que se inicia este sábado até ao dia 15 deste mês, na qual se pretende vacinar 2.485.777 pessoas, de 43 municípios das províncias do Bengo, Bié, Huíla, Cuando Cubango, Cuanza Norte, Cuanza Sul, Lunda Sul, Malange, Moxico, Namibe e Uíge.

Um comunicado de imprensa do Ministério da Saúde adianta que dos 43 municípios visados, 41 ainda não foram vacinados nas oito fases anteriores, pela escassez de vacina contra a febre-amarela no mercado internacional, na altura que Angola enfrentou um surto, entre Dezembro de 2015 e Junho de 2016, que causou 381 óbitos.

Desde 2 de Fevereiro de 2016, quando a vacinação maciça contra a febre-amarela começou, até à presente data, foram já vacinadas contra a doença 21.347.835 pessoas maiores de seis meses de idade, de 123 dos 163 municípios do país, sendo a meta nacional 25.955.620 pessoas.

O donativo da OMS eleva para 13 o número de viaturas entregues ao Ministério da Saúde, desde o princípio deste ano, para apoiar as actividades de vacinação e controlo de doenças.

Em Julho foram entregues duas viaturas e 30 motorizadas para facilitar o desempenho dos profissionais e agentes de saúde a nível nacional, provincial e municipal, nas actividades de vigilância epidemiológica, vacinação de rotina e mapeamento de doenças tropicais negligenciadas em áreas remotas.

Registe-se também que a intensificação da vacinação de rotina para aumentar a cobertura de imunização a todos menores de cinco anos de idade, que não foram vacinados em etapas anteriores, prevê abranger 75 mil crianças na província de Luanda.

A acção, a ser lançada no dia 7 deste mês, em Luanda, pelas autoridades sanitárias da capital angolana, também vai abranger as mulheres em idade fértil, que serão vacinadas contra o tétano.

Segundo a directora do gabinete provincial da saúde de Luanda, Rosa Bessa, o governo provincial pretende, com esta acção, que vai até final do ano em curso, aumentar o número de crianças vacinadas com a 3ª dose de Pentavalente e 2ª dose contra o Sarampo.

O acto de lançamento de intensificação de vacinação de rotina terá lugar no bairro Kapalanga, em Viana, onde será aberta uma Feira da Saúde, que colocará à disposição dos residentes consultas médicas grátis, testes rápidos de malária, glicemia e VIH/Sida.

A população que aí acorrer vai beneficiar-se também de palestras sobre a prevenção de inúmeras doenças, bem como preservativos e mosquiteiros.

Para esta tarefa, estarão engajadas todas as unidades sanitárias de saúde, principalmente as que concentram alta demanda no atendimento à população.

Durante a intensificação, as equipas móveis e avançadas deverão deslocar-se às creches, escolas, igrejas, mercados e a outros locais de maior concentração populacional.

Para o êxito desta vacinação, o Governo Provincial de Luanda apela aos pais e outros encarregados de educação no sentido de levarem os seus filhos que ainda não completaram o calendário de vacinação aos postos que serão criados junto das suas áreas de residência.

No país, cerca de 70 por cento das crianças não vacinadas estão concentradas em 30 municípios, das quais 54 por cento são menores de um ano de idade.

Partilhe este Artigo