O rapper e activista angolano, Luaty Beirão, está entre os 16 finalistas dos prémios internacionais da Liberdade de Expressão, organizada pela Index on Censorship. Nesta edição de 2017, os prémios estão divididos em 4 categorias, nomeadamente: Artes, Campanha, Activismo Digital, e Jornalismo.

Por Pedrowski Teca

Na qualidade de rapper e activista, Luaty Beirão, também conhecido pelo nome artístico Ikonoklasta, está a concorrer na categoria de utilização da Arte para o exercício da Liberdade de Expressão.

Os 16 finalistas estão em grupos de quatro por cada categoria. Na categoria de Artes, Luaty Beirão enfrenta um dos mais notórios cartunistas políticos da China, conhecido como Rebel Pepper, como também o cidadão da Malásia, Fahmi Reza, que é um designer gráfico que desenhou uma das mais recentes imagens polémicas que se tornou o símbolo de protesto contra o governo autoritário do seu primeiro-ministro Najib Razak, e finalmente o grupo Two-tailed Dog Party, que de forma satírica promove campanhas artísticas criativas na Hungria.

Para além de Luaty Beirão, existem mais dois africanos a concorrer em outras categorias, nomeadamente: na de Melhor Campanha do Ano 2017, o académico marroquino Maati Monjib, que ensina Estudos Africanos e História Política na Universidade de Rabat e que fundou a organização Freedom Now, uma coligação de defensores de Direitos Humanos; e na de Activismo Digital, o pastor zimbabueano, Eva Mawarire, que segurando a bandeira do seu país em Maio de 2016 começou um dos mais importantes protestos dos últimos tempos, a campanha #ThisFlag, que resultou na proibição de posse de bandeiras da República do Zimbábue por pessoas individuais.

“Eu canto contra o regime angolano, para espalhar a verdade ao povo do meu país. Fui detido durante um ano e passei 36 dias em greve de fome simplesmente porque acredito nos meus ideais”, disse Luaty Beirão no website da Index on Censorship.

Os prémios da Index on Censorship existem há 17 anos, honrando, ao nível mundial, todos aqueles que lutam na linha da frente pela Liberdade de Expressão. A maioria dos seus vencedores são indivíduos ou grupos que enfrentam prossecuções constantes, incluindo prisões, perseguições e intimidações por causa dos seus trabalhos.

Os vencedores serão anunciados durante uma cerimónia que se realizará a 19 de Abril, no Unicorn Theatre, em Londres, Inglaterra, onde recebem, como parte do prémio, formação, promoções e assistência durante um ano.

Referência: https://www.indexoncensorship.org/2016/11/awards-2017/

Partilhe este Artigo