“No dia 3 de Março de 2017, fomos surpreendidos às primeiras horas da manhã com a montagem de uma estrutura para vendas e um palco para actuação, no campo do Mané no Bairro Neves Bendinha, promovida pela Cervejaria Cuca. Devo dizer que este denominado campo, é um largo residencial.

Por parte de alguns cidadãos ligados a este evento, designado como Maratona, foi-nos informado que era uma Campanha do Partido (MPLA) com a autorização da Senhora Administradora do Município do Kilamba Kiaxi. Não nos foi passado o programa, muito menos nos foi pedida a anuência como moradores e cidadãos de bem, que trabalham e dão o seu contributo ao Estado.

Deram-nos a informação que no local a música seria interrompida às 22h, nos dias úteis. Tal não tem acontecido! Gravei um vídeo às 6h da manhã para provar que os mesmos não têm cumprido estas normas, se é que elas existem! Fora encontrarmos fezes em frente às nossas portas e fazem das paredes das nossas residências urinóis, embora tenham sido colocados dois banheiros para os frequentadores da maratona. Numa zona residencial, sem zonas restritas, digamos que é no mínimo incompreensível?!?

Senhora Administradora do Distrito Urbano do Neves Bendinha, vejo-me na necessidade de formalizar a minha insatisfação, por esta via, pelo seguinte: Todos os dias da semana, o nosso descanso tem sido prejudicado ao sermos obrigados a suportar diversos tipos de ruído, nomeadamente música (até pela noite dentro, altura correspondente às horas de silêncio e de descanso), gritaria, palavras obscenas, agressões, comportamentos estes que consideramos inaceitáveis. Apesar de ter chamado a atenção, ao DJ e seguranças de forma repetida e insistente, para o incómodo que esta poluição sonora nos provoca, o comportamento não se alterou.

Tenho filhos em época de provas e não sei se eles decoram as letras das musicas ou concentram-se na nossa explicação para que estejam preparados para as provas. Eu, sinceramente não tenho palavras para expressar a imensa indignação, diante do desrespeito a um cidadão, por parte dos responsáveis por esta Maratona. Sou uma cidadã angolana, tenho dado e sempre darei o meu contributo ao Estado trabalhando, não é nosso dever contribuir para o desenvolvimento do país?

É campanha do partido, é o lançamento da campanha do Ministro João Lourenço, respeita-se (pelas fotos de Sua Excia., coladas na parede)! Tem que haver comemorações, actos solenes, inaugurações… Venda de comida sim! São mulheres que precisam sustentar os filhos, pagar propinas na escola, mas, tudo dentro do respeito para com o cidadão e em áreas apropriadas.

Não uma MARATONA promovida com música alta das 17h às 6h da manhã numa zona residencial, que segundo os organizadores durará 15 dias! Quando reclamamos a resposta é: Isto é actividade do partido!!! Uma Maratona onde nem sequer é respeitada a frequência, pois, há imensas crianças naquele ambiente durante a noite, meninos e meninas dos 10 aos 15 anos, expostos a todo tipo de perigos. Sem contar com as brigas que são desencadeadas, devido à força do álcool… Enfim… É de lamentar!!!

Qual é a imagem que estes cidadãos querem passar como militantes do partido? Que podem ficar 15 dias a consumir álcool a noite toda, a urinar nas nossas portas, sem trabalharem, sem darem o seu contributo ao país e ainda encherem o peito diante das nossas reclamações dizendo que podem e fazem porque são militantes do partido?

Senhora Administradora do Distrito Urbano do Neves Bendinha, Entidades governamentais, Senhores agentes da autoridade, SOCORRO: As nossas crianças em casa estão assustadas, não dormimos, nós os cidadãos que o estado tem que proteger, que saímos para trabalhar estamos a adormecer ao volante, porque não conseguimos dormir à noite… Teremos que abandonar as nossas casas à mercê dos homens do alheio?

Eu já saí às 3h da madrugada para ir a uma esquadra da polícia. A resposta foi: Minha Senhora vai para casa que mandaremos uma patrulha mandar desligar a música. Isto é um caso de poluição sonora. Eu esperei, esperei e nada!

Eu pergunto, qual é o nosso direito como cidadãos? Ao ver os meus vizinhos com medo de se queixarem, alegando que não serão ouvidos porque a “maratona é do partido”, que podemos, além disso, sofrermos “represálias”, eu me recuso a crer que o partido apoie este tipo de maratonas… Eu me recuso a acreditar que a nossa polícia ignora o bem-estar do cidadão até este ponto… Seria o mesmo que começar a sentir vergonha de viver neste país! E como angolana, é um sentimento que não desejo ao meu pior inimigo.

Socorram-nos pelo amor de Deus. Se possível for, a título de probidade pelo exposto, cederei a minha residência, para que possam lá passar uma semana e presenciarem in loco esta situação. Porque quando o problema alcança não somente uma pessoa em particular mas, a colectividade, há a necessidade de o Estado intervir, para o bem estar do cidadão!”

Nota: Carta de uma leitora devidamente identificada e enviada à Administradora do Distrito Urbano do Neves Bendinha.

Foto: Arquivo

Partilhe este Artigo