ANGOLA. O presidente José Eduardo dos Santos deverá reunir, nos próximos dias, o Conselho Nacional de Defesa e Segurança, pela primeira vez em mais de dois anos. A reunião deverá abordar propostas para os cargos de ministro da Defesa, de chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas Angolanas, de chefe de Estado-Maior do Exército, dos comandantes das regiões militares, assim como de outros postos importantes do exército.

Segundo revela o Maka Angola, o encontro servirá também para dar seguimento ao processo de reforma dos generais. Na reunião do Bureau Político do MPLA no passado dia 30 de Janeiro, José Eduardo dos Santos manifestou o seu interesse em passar à reforma alguns generais no activo que são da sua inteira confiança, de modo que o seu sucessor tenha condições para preparar a sua equipa.

José Eduardo dos Santos referiu-se especificamente aos casos do chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, general Manuel Hélder Vieira Dias “Kopelipa”, do chefe do Serviço de Inteligência e Segurança Militar (SISM), general Zé Maria (o mais velho com 74 anos); do chefe da Unidade de Guarda Presidencial (UGP), general Alfredo Tyaunda; e do chefe da Unidade de Segurança Presidencial (USP), general José Maua.

No seguimento da notícia da reforma do comandante-em-chefe, que em Setembro completa 38 anos no poder, houve claros sinais de alívio vindos do seio do Exército. Contrariamente aos temores iniciais, as primeiras ilações dos meios competentes acerca do estado de opinião no Exército indicam que há um sentimento de apoio generalizado ao anúncio de reforma do comandante-em-chefe, desde os soldados ao generalato.

Segundo fontes palacianas, após a reunião, o presidente deverá seguir para Espanha, para retomar os seus tratamentos médicos, que interrompeu em Novembro passado, por ocasião da morte do seu irmão mais velho, Avelino dos Santos.

Maka Angola

Partilhe este Artigo