Abismado fiquei ao ler recentemente, num conceituado jornal ocidental, que o actual mandatário da nação mais poderosa do mundo, dito de outro modo, do Estado mais bandido e belicista do mundo ‘Rogue States’, segundo os filósofos da epistomologia Radical, cancelou parte dos acordos assinado pelo seu predecessor com a Ilha Caribenha: Cuba e, revogou partes importantes do processo de aproximação entre as duas nações.

Por Pascoal Neto (*)

Segundo Donald Trump, ao facilitar as viagens e o comércio com Cuba, o acordo de Obama: “Não ajuda o povo cubano, só enriquece o regime cubano, porque os lucros do turismo e os investimentos vão directamente para os militares”, afirmou com petulância, o manda-chuva dos ‘semeadores de terror’ (é assim como o eminente, linguista, filosófico, historiador, cientista e crítico social americano, Noam Chomsky, denomina os fazedores da política americana), em discurso com tom de Guerra Fria.

Durante anos, temos assistido às intromissões dos ‘atormentadores’ e dos seus ‘sipaios’ nos assuntos internos de vários Estados Soberanos, que professam ideologias políticas diferentes dos “valores e princípios ocidentais”.

O arquipélago do chamado Apóstolo da Revolução Cubana, José Marti, desde que abraçou o ideário socialista, renunciado à influência capitalista dos ‘marcadores da morte’, tem sido pressionado a abdicar da sua doutrina comunista e implementar os princípios “democráticos”, que os “donos da humanidade” pretendem a ferro e fogo impor às nações subdesenvolvidas, assim como o seu estilo de vida. A pretensão dos ‘atormentadores’, e dos seus ‘capangas’ é de sobra conhecida: Reconquistar o espaço perdido, melhor dito, recuperarem as influências que tinham no passado, na pequena Ilha Caribenha.

Com golpes de mestria que lhes é característico; os falsos profetas dos direitos humanos, acusam o regime Cubano de antidemocrático; desrespeitador dos tratados da Convenção de Genebra e da Declaração Universal dos Direitos Humanos, (tratados que os mesmos não respeitam na sua totalidade) e, portanto, segundo ele, Cuba deve ser condenada pela sua insubordinação: sanções económicas (bloqueio económico, comercial e financeiro perduram há mais de meio século), é a sentença; castigo anacrónico, cruel e ineficiente impostos à pequena Ilha Caribenha, pelos ‘atormentadores’, sem o beneplácito do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), organização intergovernamental, cujo objectivo principal é de garantir a manutenção da paz, promover a cooperação e a segurança internacional.

De acordo com a instituição, guardiã das normas internacionais, o uso da força contra a integridade territorial e/ou independência de qualquer Estado está proibido e as disputas devem ser resolvidas pacificamente mediadas especialmente pelo Conselho de Segurança.

Então porquê os Estados Unidos da América, que se consideram os donos do mundo, actuam fora dos ditames das normas internacionais?!

A desculpa dos ‘atormentadores’ é que haja uma “mudança de regime” para o levantamento das sanções. Os ‘mercadores da morte, esquecem-se que Cuba como nação independente e segundo o direito internacional e desde o Congresso de Westfalia, de 1648, que reconhece a igualdade soberana entre os Estados, as mudanças na Ilha só cabem exclusivamente ao povo cubano, o único que pode determinar o seu sistema político e o seu modelo de sociedade.

Jean Piaget, renomado Psicólogo e Filósofo Suíço, define democracia, como: “Relações de cooperação, nas quais predominam o respeito mútuo e a reciprocidade no quadro do desenvolvimento de autonomia dos sujeitos [neste caso Estados]. Eu pergunto: Somente o pequeno país Caribenho tem actuado fora dos preceitos dos Tratados Internacionais?! Porquê os ‘atormentadores’ e os seus lacaios não sancionam o governo israelita que durante décadas tem cometido atrocidades contra o povo Palestino?! O governo Israelita não tem praticado crime de terrorismo de Estado?! Não tem atropelados as regras do Tratado da Convenção de Genebra?!

Os críticos do regime Cubano necessitam de um lupa para verem os actos bárbaros praticados pelos Israelitas?! Quais são os verdadeiros interesses políticos e económicos dos ‘mercadores da morte’ e dos seus capangas?! Onde anda as Nações Unidas e a Comunidade Internacional?! Os ‘atormentadores’ e os seus aliados só aplicam sanções aos países periféricos?! O Tribunal Penal Internacional não possui autoridade para julgar os lideres criminosos Israelitas?!

“Either you repeat the same conventional doctrines everybody is saying, or else you say something true, and it will sound like it’s from Neptune” (Noam Chomsky)

(*) Mestre em Segurança Humana e Alterações Climáticas

Partilhe este Artigo