Os cabeças-de-lista da Convergência Ampla de Salvação de Angola – Coligação Eleitoral (CASA-CE) às eleições gerais previstas para Agosto deverão ser conhecidos até Maio, foi hoje anunciado em Luanda.

A informação foi avançada pela Direcção daquela coligação em conferência de imprensa realizada para abordar a situação política actual de Angola, que consideraram como “crítica”, com o país mergulhado numa crise económica e financeira.

Segundo Manuel Fernandes, vice-presidente da CASA-CE, a segunda maior força política da oposição angolana, no dia 10 deste mês vai ser realizado o Conselho Consultivo Nacional, no qual vão ser abordadas a situação política, económica e social angolana, o contexto conducente às eleições gerais de 2017 e a situação interna da coligação.

No referido encontro, a realizar na província de Benguela, vão ser ainda discutidas a definição e aprovação das linhas de força, das prioridades e dos indicadores do calendário para a pré-campanha e campanha eleitoral, a formalização do mecanismo institucional da CASA-CE para a condução da pré-campanha e campanha eleitoral, bem como convocado o Conselho Deliberativo Nacional.

“Vamos para o conselho executivo e prevemos realizar o Conselho Deliberativo nos próximos três meses, mas o conselho executivo vai-se debruçar sobre isso. É neste encontro do Conselho Deliberativo onde se vai provar todos os instrumentos e toda a máquina eleitoral, ainda estaremos por dentro, porque até lá provavelmente as eleições já terão sido convocadas e já estaremos num contexto diferente ao presente”, referiu Manuel Fernandes.

O político sublinhou que o programa de governo da CASA-CE, coligação liderada por Abel Chivukuvuku, está a ser trabalhado, para nos próximos tempos ser submetido à apreciação da sociedade, para a busca de outras contribuições.

“Mas teremos tempo suficiente ainda de divulgar o nosso programa e de receber contribuições da sociedade para o engrandecimento do nosso programa. É neste fórum onde vai se aprovar o programa do Governo”, frisou.

A CASA-CE, coligação de partidos formada em Abril de 2012, ano em que concorreu, em Agosto, igualmente às eleições em Angola, viu o seu pedido de transformação em partido negado pelo Tribunal Constitucional, concorrendo assim novamente como coligação no próximo escrutínio eleitoral.

A coligação, liderada por Abel Chivukuvuku, tem na sua Direcção seis vice-presidentes, designadamente André Mendes de Carvalho “Miau”, Manuel Fernandes, Alexandre Sebastião André, Lindo Bernardo Tito, William Tonet e Cesinanda de Kerlan Xavier.

Integram a coligação os partidos PADDA – Aliança Patriótica, Partido de Aliança Livre de Maioria Angolana (PALMA), Partido Pacífico Angolano (PPA) e Partido Nacional de Salvação de Angola (PNSA).

Partilhe este Artigo