ANGOLA. “Com os nossos melhores Cumprimentos a nossa mais elevada convicção de que a Vossa competência, empenho e o nível de cumprimento das tarefas que vos são a cometidas, poderão maximizar as acções do Vosso poder de liderança.

Reportando-nos o assunto em epígrafe apraz-nos levar ao Vosso douto conhecimento o seguinte:

Nós, bolseiros do Brasil, estamos em situação de risco face ao não recebimento das despesas durante 3 meses desde Janeiro até ao momento, com as seguintes consequências imediatas:

* universidade e residências não pagas com o risco de sermos despejados a qualquer momento,
* plano de saúde congelado
* agravamento de não termos o que comer e nem como nos deslocarmos para as respectivas universidades.

Sentimo-nos excluídos por sermos os únicos estudantes no exterior (Brasil) a passar por esta situação no quadro de um só programa e política de formação da Sonangol.

Por várias vezes tentamos todo o tipo de contacto com a SONANGOL ACADEMIA mas, infelizmente sem obtenção de respostas efectivas, apenas nos mandam aguardar até a presente data.
Fomos instruídos pela nossa empresa gestora cá (SIANO & REGO) a procurarmos os serviços de saúde pública, sendo estes extremamente precários aqui no Brasil, com recorrentes mortes por falta de atendimento. Estamos à mercê do pior…

Com a sensibilidade que Lhe caracteriza, na qualidade de mãe e de PCA da SONANGOL, imploramos à Presidente do Conselho de Administração da empresa encarecidamente para que zele esta situação de risco em que nos encontramos, para que em segurança continuemos com objectivo primordial que nos trouxe, de podermos regressar um dia formados e juntos contribuirmos no desenvolvimento que o País pretende alcançar.”

Carta dirigida à PCA da Sonangol, Isabel dos Santos.

Partilhe este Artigo