INCLUI VÍDEO. O ex-deputado da UNITA Fernando Heitor, cujo lema é – diz com uma incomensurável lata – “a vida é balizada por princípios éticos, deontológicos e morais”, tomou hoje posse como administrador executivo do Banco de Poupança e Crédito (BPC) de Angola e considerou que o programa para a recuperação do banco “tem tudo para dar certo”.

Por Orlando Castro (*)

Depois de manifestar o seu “profundo agradecimento” por ter sido indicado para este cargo pelo Presidente angolano, João Lourenço, o novo administrador executivo do maior banco público angolano, considerou que o programa existente para a recuperação do BPC “tem tudo para dar certo”, necessitando apenas que “as pessoas colocadas tenham suficiente dedicação, lealdade patriótica e apresentem todo o seu saber para a boa concretização do programa”.

“Não tenho uma varinha mágica, nós todos vamos ter que nos empenhar. A equipa é grande, foi bem escolhida, tem pessoas com valências técnicas e profissionais muito fortes e também vou fazer a minha parte, procurarei fazê-lo com tudo o que eu tenho de melhor, vou-me empenhar e espero que os outros também se empenhem e acredito que vão se empenhar todos e no final vocês irão fazer o julgamento”, frisou o economista que, legitimamente e dentro do seu lema de vida, achou que mais vale ser (e ganhar) administrador um dia do que sipaio todo a vida.

Fernando Heitor falava aos jornalistas no final da cerimónia de posse realizada hoje, em Luanda, liderada pelo ministro das Finanças, Archer Mangueira, do Governo do MPLA, partido de quem Fernando Heitor (cumprindo o seu lema de que “a vida é balizada por princípios éticos, deontológicos e morais) disse o pior.

O ex-dirigente e deputado da UNITA, maior partido da oposição, que cessou funções com as eleições gerais de Agosto último e em 2017 entrou em ruptura com a liderança de Isaías Samakuva por achar que, devido aos seus princípios éticos, deontológicos e morais merecia um tacho maior, assumiu esperar que venha a ser “uma valência grande na equipa”, com vista a ultrapassar os problemas que a banca pública, em particular o BPC, atravessa neste momento.

Em Agosto de 2008, o Jornal de Angola escrevia que “Fernando Heitor, com tiques savimbistas de triste memória, com esgares de Jack o Estripador, também falou de milhões de dólares desaparecidos no pântano da corrupção. Heitor e a UNITA devem saber para onde foram os biliões de dólares dos diamantes de sangue”.

Certamente que agora, por ordens superiores do ministro tutelar, João Melo, o Jornal de Angola vai apresentar uma enciclopédia de louvaminhas sobre Fernando Heitor, admitindo-se até que o considerem o saipaio do ano.

Mesmo sem ter frequentado as aulas de educação patriótica (que certamente irá agora frequentar), o ex-deputado da UNITA resolveu saltar a barricada e passar-se para o lado do MPLA. Com esta nomeação ficamos já com uma ideia aproximada do montante da compra.

Ainda segundo o Jornal de Angola, “Fernando Heitor, no seu discurso, ainda escorria umas gotas de raiva pelos cantos da boca. Um rapaz desempoeirado apareceu com a camisola do MPLA, disse que “o dinheiro é nosso” e despiu a camisola. Ficou nu da UNITA para cima. O dinheiro dos diamantes de sangue voa baixinho, como o galo negro”.

Fernando Heitor não se lembrará com certeza de nada disto. Para além de amputado da coluna vertebral (tal como já Jonas Savimbi previa que um dia isso lhe aconteceria) foi objecto de um curto-circuito neurocerebral que o colocou a só saber pensar com o umbigo.

Na sua intervenção, Archer Mangueira felicitou Fernando Heitor, sublinhando que “há desafios enormes pela frente”, solicitando ao novo membro da Direcção do BCP que “com o seu talento, saber, experiência” ajude a equipa a vencer estes desafios e tornar o banco forte que se impõe ser no conjunto das instituições financeiras angolanas.

“Desejo ao Dr. Fernando Heitor boa sorte e rápida inserção no espírito de equipa, que já está bem impregnado na instituição”, realçou, expressando a certeza de que “vai, certamente, ser uma boa contribuição”.

Neste caso, ao contrário de outros, Jonas Savimbi não terá dado nenhuma reviravolta no caixão. Há muito que o Mais Velho sabia que se o valor da UNITA se medisse pelo valor de alguns dos seus membros, Fernando Heitor Francisco amesquinhava-a em toda a sua extensão.

(*) Com Lusa

Partilhe este Artigo