O João despede-se hoje (07.11). Vai para uma celestial viagem. Talvez tenha regresso, talvez opte por preparar o terreno para nos acolher, em igual viagem. O João, que também é Matos, palmilhou muitos matos e, em alguns deles, tive o privilégio de os partilhar, numa estonteante cumplicidade.

Por William Tonet

Era convicto e foi um dos poucos generais de caserna que saltava do bunker, tal como presenciei, em Mavinga.

Com o João de Matos, na fronteira que a ideologia e o poder de Estado nos impôs, mantivemos sempre, em público, o respeito institucional, mas em privado a nossa eterna amizade e cumplicidade.

Muitos, talvez, hoje, tenham palavras para te dizer, por acharem politicamente relevante, mas meu amigo, na distância que nos separa, sabes que estamos mais próximos do que nunca, pois não é possível esquecer, este momento em que surpreendeste a minha família, no dia 20 de Fevereiro de 1993, data do meu aniversário, com um bolo, na companhia do Led (general), Mendes (general), quando me encontrava na frente de combate, sem bilhete de regresso e tu estavas lá, para dizer PRESENTE, na minha ausência, na minha casa, como AMIGO.

Lembra a memória da história que o Graça Campos, presente, no acto, não acreditava estar eu ainda em vida, tendo desequilibrado os presentes, mas isso são contos de outros rosários.

Noutro, com uma premonição, disseste ao meu filho Yannick, no colo da mãe, que teria de ser general. João o teu puto, já é um homem e sabes que é militar, tomando-te o gosto…

Preparava-se para, no teu regresso, pessoalmente te dizer, que já é pai de gémeos…

Fá-lo-á, um dia, pois tu, se não aceitaste que a política nos separasse, pois és, eternamente, na pureza sentimental, apenas essa, meu AMIGO…

Por isso digo, hoje, ATÉ BREVE!

Legenda. Na foto da esquerda, o General João de Matos abre a garrafa de champanhe enquanto, com a ajuda da mãe, Yannick, o filho de William Tonet, trata de apagar as velas. Na foto da direita, na companhia do General Led, João de Matos “analisa” a qualidade do bolo que, como Yannick comprova, era excelente.

Partilhe este Artigo