A actual primeira-dama e a ex-primeira-dama de Angola, Ana Lourenço e Ana Paula dos Santos respectivamente, suspenderam hoje o mandato de deputadas à Assembleia Nacional, tal como o líder da CASA-CE, segunda maior força política da oposição, Abel Chivukuvuku.

A Assembleia Nacional angolana procedeu hoje à movimentação de um total de 32 deputados, 15 pelo círculo nacional e 17 pelo círculo provincial, por incompatibilidade de funções, sendo a maioria do grupo parlamentar do MPLA.

O mandato de deputado é incompatível com as funções de ministro de Estado, ministro, governador, vice-governador de província e outras, que impeçam a participação permanente nas actividades da Assembleia Nacional.

Nesse sentido, suspenderam o mandato vários deputados nomeados para cargos no Governo e no gabinete do Presidente da República, governadores e vice-governadores, além de cargos de direcção nas formações partidárias.

O líder da CASA-CE já tinha informado o Parlamento que pretendia ser substituído no cargo de deputado para o qual foi eleito, para se concentrar na liderança da coligação.

Como deputados mantêm-se, o líder da UNITA, Isaías Samakuva, e o ex-vice-Presidente de Angola, Manuel Vicente.

Isaías Samakuva manifestou, após as eleições gerais de 23 de Agosto, na qual concorreu como candidato da UNITA à Presidência da República, que pretende abandonar a liderança do maior partido da oposição angolana.

O líder da UNITA tomou posse como deputado, em Setembro, tendo afirmado, na altura aos jornalistas, que não iria suspender o cargo.

“Vou continuar deputado, creio que tudo dependerá da condução do processo no congresso, possivelmente estarei aqui algumas semanas, mas se calhar vou ter de suspender por alguns meses ou por algumas semanas, até que o congresso se realize”, disse o político.

Na primeira sessão plenária extraordinária da I sessão legislativa, da IV legislatura da Assembleia Nacional foram aprovadas as denominações e composições das comissões de trabalho especializadas, o Conselho de Administração do Parlamento, a direcção do Grupo de Mulheres Parlamentares e a Comissão Permanente da Assembleia Nacional.

A Assembleia Nacional conta nesta legislatura com dez comissões de trabalho especializadas, com as mesmas denominações da legislatura passada, sete presididas pelo MPLA, duas pela UNITA e, pela primeira vez, uma pela CASA-CE.

Folha 8 com Lusa

Partilhe este Artigo