BRASIL e Paraguai questionam a adesão da Venezuela ao Mercosul, ressaltando que Caracas não cumpriu com algumas cláusulas da união aduaneira. Ontem terminou o prazo para que o país se adequasse às normas técnicas e de direitos humanos do bloco.

Caracas cumpriu apenas parcialmente o combinado, dando munição às nações que querem os venezuelanos fora da união aduaneira. Com isso, o destino do país começará a ser selado no próximo dia 23, em reunião em Montevideu entre altos funcionários dos governos do Brasil, do Uruguai, do Paraguai e da Argentina. Caracas não deverá enviar emissários.

Além de Brasil e Paraguai, a Argentina também defende que a Venezuela perca representatividade no bloco. Se assim acontecer, a Venezuela ficará nas mesmas condições da Bolívia e do Chile, por exemplo, sem direito a voto. Outro tipo de punição não descartado seria a suspensão dos venezuelanos por questões ligadas aos direitos humanos.

Partilhe este Artigo