A propósito do artigo “Seguradoras em risco”, aqui publicado no dia 2 de Dezembro, recebemos de Tiago Dá Mesquita, Director Executivo da Aon Angola – Corretores de Seguros, Lda. o seguinte esclarecimento:

“Tiago Dá Mesquita, Director Executivo da Aon Angola – Corretores de Seguros, Lda., vem exercer direito de resposta com referência ao artigo intitulado “Seguradoras em Risco”, publicado no passado dia 2 de Dezembro no jornal “Folha 8”. O referido artigo contém informação errónea na medida em que as informações aí incluídas como tendo por si proferidas não correspondem inteiramente ao que por si foi proferido. Pretende-se, por isso, esclarecer que as declarações prestadas foram as seguintes:

As seguradoras (e não apenas as seguradoras angolanas) não têm tipicamente capacidade para, isoladamente e apenas com recurso a activos próprios, fazer face a grandes sinistros. Pretendeu-se evidenciar o motivo da existência do mercado ressegurador internacional e a sua importância.

Quando questionado sobre o risco que a actual situação de escassez de divisas pode representar para o mercado segurador angolano, Tiago Dá Mesquita afirmou que, no limite, alguns ou todos os resseguradores estrangeiros poderão futuramente recusar-se a cobrir os riscos que lhes sejam propostos pelas seguradoras angolanas. Afirmou também que esta recusa se trata de um risco potencial e não de uma realidade efectiva. Adicionalmente adiantou-se que tanto as seguradoras angolanas como as entidades de regulação e supervisão (nas quais se incluem a ARSEG e o BNA) estão conscientes desta situação e que se encontram actualmente a estudar soluções para a mesma.

Considerando a forma e o contexto nos quais as declarações do Requerente foram publicadas no jornal de V. Exas., os quais não correspondem inteiramente à verdade, o Requerente considera-se naturalmente prejudicado pela referida publicação.

Luanda, 7 de Dezembro de 2016

Tiago Dá Mesquita”

Partilhe este Artigo