BPI. Os accionistas do banco português BPI acabaram esta quarta-feira com o limite aos direitos de voto no banco, avança o “Jornal de Negócios”. Os estatutos foram assim desbloqueados, tal como pediam os espanhóis do Caixabank para avançar com a Oferta Pública de Aquisição (OPA).

O impasse foi quebrado durante a terceira assembleia-geral, durante a qual a Isabel dos Santos, dona da Santoro, cedeu na sua posição e absteve-se.

A Santoro, que detém 18,6% do BPI, aceitou o acordo proposto pelo BPI, segundo o qual Fernando Ulrich admite vender 2% do Banco do Fomento de Angola (BFA) à Unitel, também da empresária angolana.

O BPI perde, assim, o controlo do BFA em Angola e recebe 28 milhões e a aprovação da Santoro para a desblindagem. Deste modo, o banco de Ulrich responder também ao BCE, que obriga a uma redução da exposição a Angola.

Na semana passada, o presidente do CaixaBank mostrou-se expectante com a assembleia-geral desta quarta-feira, uma vez que as duas anteriores não tinham conseguido quebrar o impasse.

Partilhe este Artigo