MOÇAMBIQUE. A Renamo denunciou hoje em Maputo uma alegada tentativa de assassinato da chefe da sua bancada na Assembleia da República, Ivone Soares, acusando o regime (Frelimo) de estar por detrás da suposta tentativa de homicídio.

“No dia 8 de Setembro, pelas 19:20, na cidade de Quelimane, a chefe da bancada parlamentar da Renamo sofreu um atentado contra a sua vida”, refere, em comunicado, a bancada parlamentar do principal partido de oposição moçambicana, lido por Juliano Ricardo deputado da Renamo na Assembleia da República.

Segundo a nota, um homem que seguia numa motorizada terá tentado disparar sobre Ivone Soares, na viatura em que a mesma era transportada, acompanhada por dezenas de quadros e militantes da Renamo, a poucos quilómetros do aeroporto de Quelimane, centro de Moçambique, mas a arma, de tipo AK-47, encravou.

Alguns quilómetros depois da primeira tentativa, relata o comunicado, uma viatura de marca Toyota, de cor branca, terá tentado bloquear o veículo em que seguia Ivone Soares, para permitir que o homem que seguia na mota consumasse o atentado, mas o motorista do carro que transportava a dirigente conseguiu escapar da emboscada.

“A bancada parlamentar da Renamo repudia e desencoraja quaisquer acções de perseguição e atentados contra quadros e líderes políticos e condena veementemente actos bárbaros com vista a silenciar as vozes dos partidos da oposição, como forma de eliminar a democracia em Moçambique”, refere a nota de imprensa.

Partilhe este Artigo