ANGOLA. O orçamento da Assembleia Nacional angolana vai crescer 95% em 2017, face ao orçamentado para este ano, para 44,8 mil milhões de kwanzas, segundo uma resolução parlamentar a que a Lusa teve hoje acesso.

De acordo com o documento, que aprova a proposta de tecto da dotação orçamental da Assembleia Nacional para posterior integração no Orçamento Geral do Estado (OGE) de 2017, a esta verba somam-se 2.050 milhões de kwanzas para o orçamento da Provedoria de Justiça.

No OGE de 2016, o orçamento de funcionamento do parlamento sofreu então um corte de 30 por cento, face ao inicial, descendo para 22,9 mil milhões de kwanzas.

Entretanto, a Assembleia Nacional conta desde 10 de Novembro de 2015 com um novo edifício-sede, inaugurado pelo Presidente da República, José Eduardo dos Santos, construído em Luanda pela empresa portuguesa Teixeira Duarte e que representou um investimento público superior a 185 milhões de dólares.

Trata-se da primeira fase do denominado Centro Político e Administrativo de Luanda, começou a ser construído em Maio de 2010 e já está em plena utilização por parte dos 220 deputados, das bancadas do MPLA, UNITA, CASA-CE, PRS e FNLA.

O complexo envolve uma área de 35.867 metros quadrados de escritórios, 11.341 metros quadrados de área global para a assembleia (plenário) e 3.191 metros quadrados para serviços.

Por concluir permanece a segunda fase dos trabalhos, prevendo a construção do edifício que vai receber os gabinetes dos deputados, a cargo de outra empresa portuguesa, a Somague.

Lusa

Partilhe este Artigo