ANGOLA. O líder do MPLA, como se sabe e como tem sido destacado na Imprensa mundial, sobretudo na da Coreia do Norte e da Guiné Equatorial, José Eduardo dos Santos, foi reconduzido no cargo com 99,6% dos votos.

Tratou-se, contudo, de uma votação que indicia desobediência às ordens de sua majestade o rei de Angola, José Eduardo dos Santos, podendo mesmo enquadra-se numa tentativa de golpe de Estado e de um crime contra a segurança do regime.

Isto porque José Eduardo dos Santos, único candidato à presidência do partido, foi eleito com 2.543 votos a favor, registando-se cinco votos contra e cinco abstenções.

E é nestes votos contra e nas abstenções que reside o busílis da preocupação do partido. Quando as ordens eram para que a votação fosse de 100% de votos, aparecem dez pessoas que resolvem pensar de forma diferente. Isso é grave.

Partilhe este Artigo