ANGOLA. Num momento económica, social e politicamente crítico para o regime de José Eduardo dos Santos, começa quarta-feira o congresso do MPLA.

Mais de 2.000 delegados, escolhidos à medida e por medida, vão aprovar um programa de acção do partido com vista às próximas eleições previstas para 2017 mas também uma nova lista de membros do Comité Central e do Bureau Político, também ela feita – veja-se a inclusão de filhos do presidente – à medida.

O Comité Central foi alargado de 311 para 363 membros, salientando-se a entrada de dois dos filhos do presidente José Eduardo dos Santos, nomeadamente Tchizé dos Santos e José Filomeno dos Santos “Zenu”, actual líder do Fundo Soberano do regime.

Partilhe este Artigo