ANGOLA. O novo ministro das Finanças de Angola, Archer de Sousa Mangueira, descobriu a pólvora. A mesma pólvora dos seus antecessores, mas… Então, diz ele que a prioridade é a estabilidade macro-económica, com vista a ajudar o crescimento da economia.

Mas o novo ministro itinerante das Finanças de José Eduardo dos Santos vai mais longe. Descobriu que o país está a viver “condições muito difíceis”.

“Temos consciência de que teremos a responsabilidade de contrariar as externalidades negativas”, assegurou Archer Mangueira, vaticinando que tudo irá fazer com maior rigor, disciplina, metodologia e critério na gestão dos recursos do Estado, assim como na modernização das finanças públicas, melhorando o que está bem e corrigir o que está menos bem.

Archer Mangueira precisou que tudo fará (quem diria?) com esforço, dedicação, empenho, abnegação e competência para retribuir a confiança que lhe foi (pois claro!) depositada pelo Presidente da República, José Eduardo dos Santos.

Partilhe este Artigo