ANGOLA exportou 96 milhões de dólares em diamantes durante o mês de Outubro, uma quebra de mais de 30%, mas o encaixe do Estado nas receitas fiscais com estas vendas aumentou.

Segundo dados de um relatório do Ministério das Finanças sobre a arrecadação de receitas pelo sector diamantífero angolano compilados hoje pela agência Lusa, Angola vendeu em Outubro 701.568,25 quilates, uma quebra superior a 20%, tendo em conta as vendas de mais de 882.100 quilates em Setembro.

Ainda assim, cada quilate foi vendido, em termos médios, a 145 dólares, em Outubro, um preço superior aos 129,5 dólares do mês anterior.

Globalmente, as vendas em Outubro ascenderam a 101.786.354 dólares (96 milhões de euros), uma quebra de 30% tendo em conta os 144.221.107 dólares (136 milhões de euros) em Setembro. Depois do petróleo, os diamantes são o maior produto de exportação de Angola.

Entre impostos e “royalties”, pagos em moeda nacional, estas vendas representaram um encaixe em receitas fiscais de 1.292 milhões de kwanzas (7,3 milhões de euros), o que compara com os 1.029 milhões de kwanzas (5,8 milhões de euros) em Setembro, um aumento de quase 26% no espaço de um mês.

O país atingiu em 2015 um novo recorde de produção de diamantes, com 8,837 milhões de quilates, que renderam ao país 1,107 mil milhões de dólares (1.044 milhões de euros).

Em 2014, a produção de diamantes em Angola atingiu o valor de 1,303 mil milhões de dólares (1.229 milhões de euros).

O Governo espera mais do que duplicar a produção nacional de diamantes nos próximos cinco anos, com a entrada em exploração de novas minas.

Lusa

Partilhe este Artigo