CABINDA. “A FLEC/FAC condena vigorosamente os actos e métodos criminosos do governo angolano que rapta, tortura e assassina os militares cabindeses da FLEC/FAC.

A FLEC/FAC exige que uma comissão de inquérito criminal independente apure as condições do rapto de João Baptista Ngimbi Sem Família em Ponta Negra na República do Congo cujo cadáver foi encontrado na República Democrática do Congo na fronteira com Cabinda perto de Miconje.

A direcção político-militar da FLEC/FAC solicita ao presidente da República do Congo Denis Sassou Nguesso que proceda à investigação sobre o rapto de João Baptista Ngimbi Sem Família em Ponta Negra e a violação da soberania territorial da República do Congo por comandos angolanos. Solicitamos também ao presidente República Democrática do Congo Joseph Kabila que proceda à investigação sobre as condições em que o corpo de João Baptista Ngimbi Sem Família foi transportado para o seu país por militares angolanos.

Solicitamos ao Governo e aos órgãos judiciais da República Democrática do Congo que procedam a uma autopsia ao corpo de João Baptista Ngimbi Sem Família e apresentem publicamente as conclusões. A FLEC/FAC denuncia a política de assassinatos metódicos e contínuos levada a cabo por Angola e da total responsabilidade de José Eduardo dos Santos que nega a existência da guerra em Cabinda mas prossegue com uma mortífera caça ao homem contra nacionalistas cabindas.”

Nota: Texto integral do comunicado da FLEC/FAC

Partilhe este Artigo