ANGOLA. O segundo comandante da Região Militar Cabinda, brigadeiro Domingos Filipe Kicongo, declarou hoje que a preparação combativa “assume-se como a mais importante tarefa educativa e patriótica, em tempo de paz”.

Dito em Cabinda, onde – segundo o governo de sua majestade o rei de Angola – não existe nem guerra nem subversão violenta, até teria alguma piada, não fosse o facto de cabindas e angolanos continuarem a morrer.

Domingos Filipe Kicongo falava na sessão de abertura da XV Reunião Metodológica do Órgão de Preparação Combativa da Região Militar Cabinda no ano de Instrução 2016/2017.

Partilhe este Artigo