MOÇAMBIQUE. Centenas de dissidentes do Movimento Democrático de Moçambique (MDM), na província nortenha de Nampula, acabam de criar um partido politico.

Denominado Movimento Alternativo de Moçambique (MAMO), o mesmo surge na sequência do mau relacionamento entre os visados e o partido de Daviz Simango, que considera que a criação do novo partido não constitui uma ameaça à sua formação política.

O Secretário-geral da Comissão Instaladora do recém-criado MAMO, Estêvão de Fátima, aponta o tribalismo, nepotismo e falta de transparência no MDM, como sendo um dos factores que contribuiu para a dissidência de alguns membros.

Daviz Simango, presidente da terceira maior força política do país, desvaloriza o abandono destes membros e diz que a mesma prova o exercício democrático em Moçambique.

Partilhe este Artigo