ANGOLA. O activista angolano Dago Nível Intelecto cumpre hoje 6 meses de prisão por ter declarado em Março que o tribunal que condenara 17 críticos do regime, era o que toda a gente sabe que era: uma palhaçada. A Amnistia Internacional assinala a data lançando uma nova campanha “Dago poderia ser um de nós”.

Francisco Mapanda, de seu nome verdadeiro, cumpre pena na cadeia de Caquila. Ele classificara a 28 de Março, como uma “palhaçada” a condenação nesse dia de 17 críticos do regime de Luanda por actos preparatórios de rebelião e associação de malfeitores.

“Dago Nível Intelecto” ficou desde então submetido a uma pena de oito meses de prisão maior. Desde finais de Junho que os referidos activistas estão em regime de liberdade provisória.

Com mais de metade da pena cumprida e com um relatório de comportamento favorável, de acordo com a lei, o jovem poderia sair em liberdade condicional.

Os advogados garantem, porém, estar a fazer tudo em prol da sua causa, mas os familiares, nomeadamente a sua mãe, pedem mais celeridade no processo.

“Dago poderia ser um de nós”, este foi o mote da campanha da Amnistia Internacional com uma petição a ser dirigida ao ministro angolano dos Direitos Humanos por forma a exigir a respectiva libertação.

Uma operação levada a cabo, nomeadamente, através das redes sociais e que visa não deixar cair no esquecimento o dossier de Francisco Mapanda.

RFI

Partilhe este Artigo