ANGOLA. Hélder Amaral, dirigente e deputado do CDS-PP, disse hoje, em Luanda, que aquela força política portuguesa está muito mais próxima do MPLA, partido no poder em Angola desde 1975, e agora com “muitos mais pontos em comum”.

O MPLA gostou de ouvir. Aliás, todos os elementos da comitiva da fina flor do entulho português que estão em Luanda devem apenas limitar-se a perguntar o que é que podem fazer pelo regime de sua majestade o rei José Eduardo dos Santos.

A fase de ser o regime a perguntar o que pode fazer por eles também não será esquecida pelo Presidente da República, no poder desde 1977 e nunca nominalmente eleito.

E aprendam com o “querido líder” quando ele diz: Sejam audazes, baixem as calcinhas, cumpram com um sorriso e peguem na vaselina… caso necessitem.

Partilhe este Artigo