ANGOLA. “O Conselho Presidencial da CASA-CE tomou conhecimento da recente remodelação do Executivo Angolano efectuada por Decretos Presidenciais publicados no dia 16 de Setembro de 2016, e vem através deste Comunicado emitir o seguinte:

1 – Para o Conselho Presidencial da CASA-CE, o quadro político, económico e social actual, caracterizado pela crise económica e pelo agravamento da condição de pobreza da maioria da população é prova mais do que inequívoca da incapacidade e inoperactividade das instituições encarregues de administrar e gerir os recursos nacionais.

2 – O Conselho Presidencial da CASA-CE considera que as remodelações efectuadas, caracterizadas por aquilo que se costuma ironizar como dança das cadeiras, provam bem que o actual Titular do Poder Executivo carece de soluções governativas e demonstra ter esgotado seus recursos de imaginação, criatividade e energia para encontrar soluções sérias e duradouras para Angola.

3 – O Conselho Presidencial da CASA-CE considera ser inadmissível que o Presidente da República continue a apostar em dirigentes comprovadamente ultrapassados e que ocupam cargos desde a independência, quando somos 26 milhões de angolanos e as nossas universidades no final de todos os anos lectivos outorgam diplomas a mulheres e homens que são razoavelmente credíveis e capazes de assegurar a funcionalidade do Estado.

4 – O Conselho Presidencial da CASA-CE considera ser esta uma das razões pelas quais a Estratégia de Governação da CASA-CE assenta na confiança e valorização dos quadros angolanos, com primazia para os jovens que lutam por oportunidades que lhes são categórica e sucessivamente negadas pelo Presidente da República.

5 – O Conselho Presidencial da CASA-CE vem mais uma vez exortar as angolanas e os angolanos para conjugarem esforços, no sentido de todos juntos podermos em 2017 proporcionar ao país uma nova Governação assente no Patriotismo, na competência e no bem-servir.

É neste sentido que a CASA-CE está preparada para protagonizar a Mudança, Pacífica; Ordeira; Inclusiva e Positiva.”

Nota: Texto integral do comunicado da CASA-CE

Partilhe este Artigo