PREVISÕES. O Ministério da Fazenda (Finanças) do Brasil informou hoje que prevê que o Produto Interno Bruto (PIB), a soma de bens e serviços produzidos no país, cresça 1% em 2017, abaixo dos 1,6% previstos em Agosto. O Executivo também reviu em baixa as suas expectativas para em 2016, com uma queda de 3% para 3,5%.

Em conferência de imprensa, o secretário de Política Económica do Ministério da Fazenda, Fabio Kanczuk, justificou a alteração com o endividamento das empresas.

“O endividamento das empresas está mais claro, puxando o ‘spread’ para cima e reduzindo o PIB. Continuamos falando em recuperação da economia, mas tem um pouco de atraso”, disse, citado pela imprensa local.

Esta é a terceira revisão das projecções para o próximo ano feita pelo Governo de Michel Temer, que assumiu funções em maio.

“O que realmente causou essa recessão foi uma queda de confiança causada por questões fiscais. O empresário retrai investimento. O mais importante que temos de resolver é a questão fiscal. É o âmago de tudo”, comentou Fabio Kanczuk.

O Governo baixou de 4,8% para 4,7% a sua estimativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial, em 2017. Já o IPCA de 2016 deve ser de 6,8%, abaixo do previsto anteriormente (7,2%).

Partilhe este Artigo