Os delegados à 3ª Assembleia Municipal de Benguela, realizada na sala de reuniões do Secretariado Provincial do Bloco Democrático, dirigida por Zeferino Kuvingwa, Secretário Provincial, analisaram e aprovaram o relatório das actividades do secretariado municipal.

Eis, na íntegra, o comunicado do Bloco Democrático enviado à Redacção do Folh8:

“Os delegados analisaram a vida social, económica e política do município concluíram que a população do município, vive momentos difíceis da história, como homens continuadores da Nação Angolana no que tange a vida política como a vida social e económica, tudo por culpa da situação precária em que o executivo angolano deliberadamente preparou, desviando tudo, até as atenções do próprio povo, cresce a intolerância politica, a exclusão social e politica, abuso aos direitos humanos, desrespeito a dignidade humana etc.

Os delegados analisaram também a crescente morte dos munícipes nas unidades sanitária do município devido a falta de medicamento e de assistência médica, a falta de luz em muitas zonas do município, a crescente subida de níveis de delinquência com consequência de muitos crimes a noite.

Ainda os delegados reflectiram sobre a vida difícil que a população de Benguela está a passar devido as subidas de preço dos produtos básicos o que contrasta com os níveis dos seus rendimentos, atraso salariais à função pública.

Os delegados aconselham os militantes e sobre tudo os dirigentes do partido no município a despertarem do sono e levantar da cama que o executivo preparou para silenciar os angolanos e silenciar sobretudo os militantes do BD, partido que ele teme muito devido às ideias consistentes no que toca as contribuições na melhoria da vida social, económica e política.

Os delegados manifestaram o seu repúdio contra a posição do executivo de Benguela em silenciar os recentes acontecimentos no bairro do Casseque onde os indivíduos mascarados com a farda da polícia nacional durante a noite assaltaram o Banco BIC, tendo dai retirado milhões de Kuanzas e tendo arrastado o guarda em serviço até a data presente, uma vez que os filhos deste e a sua esposa esperam qualquer notícia e no bairro da Caponte Sity, onde outros indivíduos mascarados com a mesma farda da polícia nacional assaltaram os armazéns de comida e em pleno dia, os delegados temem o facto de as acções todas perpetradas, os agentes do crime possuírem uniforme dos agentes da polícia e relacionam o facto de aparecimento de armas de fogo nas mãos dos salteadores, postulando a ideia de que a segurança física dos munícipes de Benguela é questionável.

Os delegados estão também preocupados com as vendas de motorizadas por parte da administração municipal, motorizadas apanhadas pela polícia por não possuírem documentos e são revendidas sem documentos, voltando a ser apanhadas pela mesma polícia e assim se faz o comércio extorquindo dinheiro e os bens dos cidadãos já empobrecidos, sem emprego e sem rendimentos.

Os delegados reflectiram sobre a falta de emprego ou o sub emprego da juventude em Benguela, muitos jovens andam a vadiar por falta de trabalho e quando procura forma de divertimento para ganhar o pão, são logo corridos e apanhados pelos fiscais da administração municipal o que dificulta cada vez mais a vida da juventude em Benguela.

Os delegados responderam ao chamamento para mobilizarem a população para actualização dos seus cartões eleitorais e os que não possuem para quando chegar o momento afluírem aos postos de registo.

Os delegados elegeram com 12 votos o companheiro Cândido de Nascimento António, professor como Secretário Municipal de Benguela na ordem de 55%, numa corrida de 2 candidatos e elegeram o presidente do Conselho Municipal com 16 votos a favor e 4 votos contra na ordem de 95%.

Os delegados elegeram o Conselho Municipal composto de 10 Membros e os 10 delegados à 3ª Assembleia Provincial a realizar-se dia 5 de Novembro do corrente ano.

Os delegados encorajaram a direcção eleita a trabalhar para a mobilização responsável devido os tempos que nos rondam.”

Partilhe este Artigo