BRASIL. A Polícia Federal indiciou novamente hoje o ex-presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, por corrupção. Lula teria beneficiado um empresário ligado a ele, Taiguara Rodrigues, por meio de contratos da Odebrecht em Angola. O presidente da empreiteira, Marcelo Odebrecht, e o empresário também foram indiciados.

O ex-presidente teria beneficiado Taiguara, sobrinho da sua primeira mulher, por meio da Odebrecht em contratos em Angola. Foi na obra de ampliação e modernização da hidreléctrica de Cambambe.

Alvo de mandado de condução coercitiva da Operação Janus, da Polícia Federal, em 20 de Maio deste ano, o empresário Taiguara Rodrigues dos Santos ostenta no seu currículo actuação em obras de empreiteiras financiadas pelo BNDES no exterior na esteira da política de aproximação com países africanos durante os dois mandatos de Lula (2003/2010).

O acerto entre a Odebrecht e a Exergia (Taiguara) foi formalizado no mesmo ano em que a empreiteira conseguiu no Banco Nacional de Desenvolvimento Económico e Social (BNDES) um financiamento para realizar esse projecto na África. O episódio levou o Ministério Público a abrir inquérito para investigar a suspeita de tráfico de influência de Lula em benefício da empreiteira.

Lula já prestou depoimento sobre o caso. Segundo as investigações da Polícia Federal, a obra recebeu um aporte de US$ 464 milhões do banco público.

Partilhe este Artigo