O departamento de português da conceituada universidade norte-americana Johns Hopkins aceita candidaturas até 31 de Março para o prémio Russell Wood, que celebra o trabalho do historiador da cultura lusófona.

O s candidatos devem ser alunos da universidade e desenvolver um projecto de investigação relacionado com o mundo de expressão portuguesa. O prémio são cinco mil dólares e uma viagem ao Brasil.

Segundo o site da universidade, Russell Wood “era um especialista sobre o Brasil e mundo de expressão portuguesa reconhecido internacionalmente.”

Nascido no país de Gales, Wood estudou na Universidade de Oxford e mudou-se para os EUA em 1971 para aceitar uma posição no departamento de história da Johns Hopkins, onde se manteve até a sua morte, em 2010.

No seu livro “Um mundo em movimento: os portugueses na África, Ásia e América (1415-1808)”, que recebeu o Prémio D. João de Castro, da Comissão para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses, o historiador explora a noção do império português como o primeiro império global.

” Russell Wood interessava-se pela forma como os portugueses lidaram com a exposição a uma vastidão de mundo que não tinha sido imaginada e aos seus diferentes povos, linhas, culturas, flora e fauna “, segundo um obituário do autor.

O historiador é ainda autor de “Fidalgos e Filantropos: A Santa Casa da Misericórdia da Bahia, 1550-1755”, que recebeu o prémio Herbert Eugene Bolton, e “Escravos e libertos no Brasil colonial”.

O programa de Português da universidade Johns Hopkins é dirigido pela brasileira Flávia De Azeredo-Cerqueira, oferece três níveis de português, cursos de literatura, cultura e história.

O prémio Russell Wood é possível graças a um donativo da viúva do historiador, Hannelore Russell Wood. Em 2013 e 2014 foram distinguidas as alunas Elena Michele Ostrom Crowe e Rosie Jane Peck.

Partilhe este Artigo