O presidente do Conselho de Administração da Sonangol afirmou hoje que a petrolífera angolana não pretende aumentar o nível de investimento na banca portuguesa, onde é accionista do banco Millennium BCP.

A posição foi assumida durante a apresentação, em Luanda, em conferência de imprensa, dos resultados de 2014 da Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol), que se traduzem numa quebra de 77% (ver notícia aqui no F8) nas receitas, para 710,3 milhões de dólares (626 milhões de euros).

“Neste momento, a Sonangol não tem intenção de aumentar a sua exposição na banca portuguesa”, afirmou Francisco de Lemos José Maria.

O administrador do maior grupo empresarial de Angola, estatal, disse ainda que estão a ser analisadas as consequências das novas regras do Banco Central Europeu (BCE), que obrigam ao aumento de provisões nos bancos com exposição a Angola, como é o caso do Millennium BCP, participado a 19,44% pela Sonangol (à data de 30 de Junho de 2014).

“A melhor notícia em relação a essas provisões é que a presença do Millennium BCP em Angola, através do banco Millennium Angola, não é tão significativa que venha a provocar intervenções de grande dimensão. Por isso, vamos aguardar pela conclusão das avaliações para depois analisarmos as exposições”, afirmou Francisco de Lemos José Maria.

Em Junho de 2012, a Sonangol anunciou que avançava na sua participação no capital social no banco português até aos 20%, no âmbito do aumento de capital então encetado.

Partilhe este Artigo