O filme “Por aqui tudo bem”, da realizadora angolana Pocas Pascoal, estreia-se hoje nas salas francesas de cinema com o título “Alda et Maria”, depois de ter sido distinguido no festival IndieLisboa e no Los Angeles Film Festival.

A película conta a história de duas irmãs que fugiram à guerra civil em Angola e que se instalam em Lisboa nos anos de 1980, de acordo com o “dossier” de imprensa.

“Por aqui tudo bem” é a primeira longa-metragem de Pocas Pascoal, foi produzida por Luís Correia e tem direcção de fotografia de Octávio Espírito Santo, contando com a interpretação de Cheila Lima, Ciomara Morais, William Brandão e Vera Cruz.

O filme foi distinguido com o prémio de melhor longa-metragem portuguesa de ficção, na 9.ª edição do IndieLisboa – Festival Internacional de Cinema Independente (2012), o prémio de Melhor Filme de ficção no Los Angeles Film Festival (2012), o Prémio da União Europeia no Fespaco-Festival Pan-africano de Cinema e Televisão de Ouagadougou (Burkina Faso), em 2013, e foi seleccionado para a secção Open Doors do Festival de Locarno 2014.

Pocas Pascoal nasceu em Luanda em 1963 e mudou-se para Portugal, aos 16 anos, quando se intensificou a guerra civil em Angola, tendo regressado à terra natal dois anos depois.

Mais tarde, instalou-se em Paris, estudou no Conservatório Nacional do Cinema Francês e, em 2002, integrou-se numa residência de artistas na Cité Internationale des Arts, tendo participado em várias exposições de arte contemporânea.

A realizadora fez a primeira-curta metragem de ficção “Pour nous”, em 1998, seguindo-se os documentários “Mémoires d’enfance” (2000), “Il y a toujours quelqu’un qui t’aime” (2003) e a curta-metragem de ficção “Demain sera différent” (2008).

Actualmente, Pocas Pascoal vive entre Paris e Lisboa e está a preparar a próxima longa-metragem que conta “a história de amor entre um soldado sul-africano e uma angolana”, lê-se no “dossier” de imprensa da estreia de “Alda et Maria”/”Por aqui tudo bem”.

Partilhe este Artigo