Ouvimos dizer que Presidente Obiang investiu três milhões de dólares numa escola de samba do Brasil, para propagandear o seu Re(i)gime e o seu país.

Por Domingos Kambunji

O uvimos dizer que em África, em geral, e em Angola, em particular, há pessoas muito escandalizadas por os países europeus e norte-americanos não terem investido atempadamente na investigação científica para a produção da vacina no Ébola!… De facto, os investigadores científicos não aparecem na televisão com a mesma periodicidade inflacionada que está reservada a muitos carnavalescos políticos africanos, como acontece na TPA com os altos diGerentes sanzaleiros do MPLA.

Ouvimos dizer que o sistema de ensino angolano é de elevada qualidade e persegue os padrões de maior competência a nível mundial. Ouvimos dizer, em New Jersey, a um elemento do SINFO, que agora é que “Angola está a avançar para a frente”!… Ele veio matricular um filho num colégio do ensino secundário em Nova Iorque. Ouvimos dizer que cerca de dez por cento das crianças angolanas ficaram fora do sistema de ensino que deveria ser para todos!

Ouvimos dizer, a um dedicado e fanático militante do MPLA, que os americanos são todos muito estúpidos e atrasados, porque não sabem onde fica situada Angola. Esse militante é muito altruísta!… Gasta rios de dinheiro para pagar as propinas de um filho que está a estudar numa Universidade dos Estados Unidos da América do Norte!

Ouvimos dizer que em Moçambique existem empresas internacionais, brasileiras, portuguesas e de outros países, sócias de um ex-presidente do país, que expropriam terras aos cidadãos que vivem numa agricultura de subsistência, para dedicarem-se à monocultura latifundiária de produtos agrícolas, que interessam apenas aos monopólios comerciais situados fora das fronteiras moçambicanas.

Ouvimos dizer que os principais Generais do MPLA, depois de terem sido e continuarem a ser “Senhores da Guerra”, estão a transformar-se em “Senhores da Terra”, com terrenos roubados às populações que exploravam essas terras em regime de subsistência.

Ouvimos dizer que a irmã do Rei-Presidente abifou oitocentos milhões de dólares e as instituições financeiras perderam o rasto a esse dinheiro.

Ouvimos dizer, quando estudámos num Mestrado de Gestão de Empresas, que a Economia Internacional desrespeita os valores éticos e que os gestores dos países mais ricos, apesar de tudo, são aqueles que mais temem os sistemas judiciais dos seus países. No que se refere a África, em geral, e a Angola, em particular, os valores éticos…

Ouvimos dizer… A ostentação, de uma pequena minoria, convivendo com a enorme miséria, de uma enorme maioria, confirmam o que ouvimos dizer!

Ouvimos dizer que, em Angola, o Re(i)gime corrupto está a tomar medidas contra a corrupção e branqueamento de capitais. Que medidas são essas, de litro ou de cinco litros? De marufo, kachipembe, wisky, brandy, vinho tinto, cachaça ou de vodka?!

Estamos cansados e revoltados de tanto verificar o que ouvimos dizer!

Partilhe este Artigo