Pensando bem, aquilo que de mais admirável tem JES é o que ele engendra no exercício da sua pior qualidade, resumida sucintamente no desprezo e indiferença que lhe inspiram as carências dos angolanos e consubstanciada num monstruoso autismo.

A quantidade de erros de governança de que ele é o principal obreiro e, no final de contas, o único responsável, tem de facto facetas que inspiram a admiração. Não vale a pena enumerar as dezenas de erros que ele cometeu em nome da sua vaidade e egocentrismo pessoal e político, apenas vamos enumerar um punhado de tiradas:

1 – “Em Angola ninguém vive do seu salário, portanto cada um no seu local de trabalho arranje as alternativas”;

2 – “A Democracia foi-nos imposta pelo Ocidente”;

3 – “Democracia e Direitos Humanos não enchem a barriga de ninguém”;

4 – “Quando nasci já encontrei a pobreza”;

5 – “Esses jovens (os revús) são aí uns 300 frustrados…”;

6 – “Sim, é verdade, eu (enquanto candidato à presidência da República ) sou árbitro e jogador…” Foi este o chefe que nos saiu na rifa para governar a nossa pátria, o que chega perfeitamente para determinar a que nível ele desempenha as suas nobres funções!

Partilhe este Artigo