A secretária-geral do CICA (Conselho de Igrejas Cristãs em Angola), Deolinda Dorcas Teca, exalta com a veemência própria de quem – mesmo dizendo-se religioso – vive para servir-se e não para servir as suas “ovelhas”, o sentimento humanista do Presidente José Eduardo dos Santos.

A líder religiosa, que falava – como não poderia deixar de ser – à Angop sobre as realizações do Cica para este ano, lembrou o discurso dirigido à Nação, por ocasião do ano novo, onde o Chefe de Estado, “querido líder” e “o escolhido de Deus”, falou sobre a importância do resgate dos valores e princípios como o tratamento honroso dos mais velhos, a protecção natural da criança e dos portadores de deficiência.

Deolinda Dorcas Teca sabe que, como diz na cartilha religiosa, os súbditos devem olhar para o que o líder supremo diz e não para o que ele faz. Talvez por isso a bajulação rime com a sobrevivência de muita gente e de muitas organizações.

“Para além de ser um sentimento de solidariedade, também está a questão humanista, porque o cuidar do idoso, da criança, dar mais atenção aos pobres, as pessoas que apresentam necessidades especiais é, também, um imperativo para cada um de nós. E isto é bíblico”, disse a secretária-geral do CICA.

Deolinda Dorcas Teca mostra que, no âmbito do culto divino a Eduardo dos Santos, sabe o que diz mas não diz o que certamente o que sabe. Compreende-se. Se dissesse certamente que o CICA teria os dias contados. E como a verdade não é uma preocupação do Conselho de Igrejas Cristãs em Angola, siga a banda e venham as benesses.

A secretária-geral do CICA referiu que a confiança depositada na igreja para ajudar no resgate dos valores é de agradecer, porque as instituições religiosas têm o espaço para mobilizar as pessoas através dos grupos de mulheres e outros onde são transmitidas palavras para moldar e transformar as mentes humanas.

Digamos que é uma espécie de reeducação patriótica que, apesar de mais religiosa, segue os parâmetros oficiais. Isto é, o MPLA é Angola e Angola é o MPLA.

O Conselho de Igrejas Cristãs em Angola sublinha, segundo a ventriloquia de Deolinda Teca, o trabalho que desenvolve com os ministérios da Educação, da Cultura e da Família e Promoção da Mulher de formas a ajudarem no desenvolvimento do país.

Partilhe este Artigo