O Presidente José Eduardo dos Santos chega a Roma para uma visita oficial de dois dias, destinada a aprofundar tudo o que houver para aprofundar, nomeadamente as relações de amizade e cooperação existentes entre os dois países.

D Do programa da visita, 6 e 7 de Julho, contam-se encontros com o Presidente italiano, Sergio Mattarella, e com o primeiro-ministro, Matteo Renzi. Este último visitou Luanda precisamente há um ano, na companhia de mais de duas dezenas de empresários, tendo anunciado o objectivo de relançar a cooperação económica entre os dois países.

Na altura foi divulgada também a disponibilização de linhas de crédito para investimento italiano, através de Pequenas e Médias Empresas (PME), em Angola, bem como a abertura em Luanda de uma delegação da agência responsável pelas exportações de Itália.

Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística angolano, Itália foi o 11º destino das exportações de Angola em 2014, no valor total de 131.736 milhões de kwanzas (965 milhões de euros), equivalente a uma quota de 2,29% do total.

Nas importações, Itália foi o 15º país nas compras de Angola ao exterior, com uma quota de 1,74% do total e um montante de 49.137 milhões de kwanzas (360 milhões de euros).

Eduardo dos Santos terá um encontro com o seu homólogo italiano, Sergio Mattarella, no Palácio do Quirinale.

Esta é a terceira vez que o Presidente José Eduardo dos Santos visita a Itália. A primeira foi em 1997, quando se encontrou com o então Presidente Oscar Luigi Scalfaro e 2008, durante a Cimeira do “G8”, a convite do ex-primeiro-ministro Sílvio Berlusconi.

Recorde-se que, entre outras áreas, Itália quer reforçar a cooperação com Angola no domínio da Defesa, designadamente nos ramos da marinha de guerra, aviação e formação de quadros, como revelou em Setembro de 2014 o embaixador de Itália no país, Giogio Di Pietrogiacomo.

O diplomata que na altura falava à imprensa no final de uma audiência com o ministro da Defesa Nacional, João Lourenço, frisou que os dois países mantêm laços de amizade, daí que Itália quer partilhar experiências com Angola para o progresso dos dois Estados.

Ressaltou neste contexto, que aproveitou a ocasião para apresentar um convite ao ministro da Defesa Nacional, para visitar Itália, no âmbito das relações bilaterais entre os dois países.

“Neste momento o comandante da Marinha de Guerra Angolana está de visita à Itália e o chefe do Estado Maior da Defesa italiana estará em Angola na primeira semana de Outubro. Temos de igual modo muitos estudantes angolanos na Itália. Estamos neste momento numa fase importante, por isso Itália quer reforçar a cooperação com Angola”, sublinhou.

A Itália foi o primeiro país da Europa Ocidental a reconhecer a independência de Angola, no dia 18 de Fevereiro de 1976, e a 4 de Junho do mesmo ano, estabeleceram-se as relações diplomáticas entre os dois Estados.

As relações de cooperação existentes entre Angola e a Itália tiveram o seu início em 1977, com a assinatura de um Memorando que institui a Comissão Bilateral, então Comissão Mista de Cooperação, ao que se seguiram a subscrição de vários outros instrumentos jurídicos.

Desde 1989, Angola foi considerada pela cooperação italiana, como um país de primeira prioridade, o que conduziu ao reforço das iniciativas italianas, que viriam a conhecer um impulso após a visita do Presidente José Eduardo dos Santos à Itália, em 1997, onde se encontrou com o então presidente Oscar Luigi Scalfaro.

Partilhe este Artigo