A nova versão da revista digital Futáfrica pretende levar ao público as notícias do desporto africano, nomeadamente do futebol nos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), disse hoje um dos responsáveis pela publicação.

“E xistem muitas comunidades em Portugal que têm origem nos PALOP, disse Adolfo Lopes, explicando o potencial da revista no mercado português, que pretende suprir uma lacuna que existe no país.

“Os nossos jovens, que são filhos destas gerações de imigrantes, estão cada vez menos ligados a África. Queremos que as novas gerações olhem mais para as suas origens”, indicou.

“O futebol acaba por estabelecer uma forte ligação entre as pessoas que estão em Portugal e os seus países de origem, seja Angola, Moçambique, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe ou Guiné-Bissau”, referiu ainda Adolfo Lopes.

O responsável adiantou que a revista pretende atrair “as pessoas em Portugal para que acompanhem o futebol africano”.

De acordo com a Direcção da publicação, a revista já existia, mas sofreu uma paragem de cerca de um ano e meio e voltou às bancas em Janeiro, estando o terceiro número quase pronto para ser lançado.

Adolfo Lopes – que é proprietário da Makepeople, que agencia jogadores de futebol nos mercados português e angolano — juntou-se ao projecto nesta segunda fase da revista digital.

“A revista digital, que é mensal e de acesso gratuito, privilegia o desporto dos PALOP, com destaque para o futebol, mas pretende também acompanhar os principais feitos das grandes estrelas de outros países africanos”, referiu o empresário, acrescentando que há outros espaços na revista, como o dedicado à moda.

Além da revista, disponível no site www.futafrica.net – que fornece notícias de desporto e outros assuntos diariamente – e na plataforma Joomag -, o empresário sublinhou a presença também no Facebook (Facepromo – Media, Notícias, Publicações).

“As redes sociais são o meio fundamental para a divulgação de qualquer produto e, no Facebook, já temos mais de 50 mil seguidores. O acesso também é possível, facilmente, nos ‘smartphones’ e ‘tablets’, porque estamos direccionados para as novidades tecnológicas”, declarou.

Adolfo Lopes referiu que entre os projectos para o futuro está o lançamento da revista em suporte de papel para circular no mercado angolano e uma edição especial da publicação.

Partilhe este Artigo