As marinhas da Alemanha e de Angola realizam na terça-feira, ao largo de Luanda, um exercício naval conjunto que marca o alargamento das relações entre os dois países à cooperação militar, foi hoje anunciado em Luanda.

O exercício decorre da presença em Angola de quatro navios da Marinha alemã, nomeadamente três fragatas de guerra, no âmbito da Força Operacional e de Formação 2015 daquele país europeu, que se prolonga até Junho, visando o combate à pirataria.

De acordo com o anúncio feito hoje a bordo da fragata ‘Hessen’ – que está atracada no porto de Luanda -, pelo capitão-de-mar-e-guerra Andreas Seidl, que lidera esta força, o exercício constará de uma abordagem das forças navais angolanas a um dos navios da frota da Alemanha, tendo lugar a duas milhas da costa.

“A visita desta força da Alemanha pode ser vista como o primeiro passo visível na intensificação da cooperação militar entre as nossas duas nações”, sublinhou Andreas Seidl.

O oficial esclareceu que a cooperação entre as marinhas de ambos os países está para já centrada na formação de operacionais angolanos, mas que é intenção das duas partes alargar a base desse entendimento à cooperação na área técnica.

A presença dos navios alemães em Angola está prevista até 24 de Fevereiro, sendo que três fragatas ficarão atracadas no porto de Luanda, disponíveis para visitas.

A inclusão de Angola na rota dos navios alemãs segue-se à visita, em Novembro do ano passado, do ministro da Defesa angolano, João Lourenço, à Alemanha, ocasião em que foi assinado um acordo de cooperação de Defesa entre os dois países.

Na apresentação dos meios navais em Luanda, o embaixador alemão em Angola, Rainer Müller, assumiu “o orgulho” da Alemanha em ter o país africano “agora também como parceiro na área da Defesa”.

“Angola é um parceiro muito poderoso e influente em África e que tem uma bela história para contar”, afirmou Rainer Müller.

Em cima da mesa, entre outros aspectos, está o envio de conselheiros técnicos das Forças Armadas alemãs para assistir as forças angolanas.

“Cabe aos ministérios da Defesa dos dois países decidir, mas a Alemanha está disposta a fazer muita coisa”, enfatizou o embaixador da Alemanha em Luanda.

A força alemã que se encontra em Angola é composta pelas fragatas ‘Hessen’, ‘Karlsruhe”‘ e ‘Brandenburg’, além do navio de apoio logístico ‘Berlin”, o maior da Marinha da Alemanha, com mais de 170 metros de comprimento e que ficará atracado ao largo de Luanda.

A missão operativa, com incursão pelo mar do norte, oceano Atlântico, Golfo da Guiné, Cabo Esperança, oceano Índico e do Canal de Suez para o mar Mediterrâneo, tem como objectivo a formação do núcleo de participação alemã nos grupos de intervenção internacionais, no âmbito de tarefas marítimas.

Contudo, o comandante desta força descarta acções de envolvimento directo pela Marinha alemã no combate à pirataria, sendo a prioridade a capacitação das marinhas dos países afectados.

Além de Luanda, esta operação naval inclui manobras no Golfo da Guiné, exercícios com a marinha sul-africana, bem como intervenção da força no âmbito da operação liderada pela União Europeia, ATALANTA, para combate à pirataria no Corno de África.

Partilhe este Artigo